Elon Musk sabe que a Tesla tem produtos que podem dar o retorno que todo espera, mas dois dos maiores problemas é atender a demanda e cumprir com a meta de produção e distribuir com eficiência em todas as partes do mundo. Depois de algumas tentativas infrutíferas ou insuficientes, ele decidiu mudar o modelo de vendas justamente para tentar superar parte dessas barreiras. A partir de agora, serão apenas algumas lojas físicas e a maior parte da comercialização vai acontecer online.

O número de lojas físicas que continuam operando e a quantidade de funcionários demitidos não foram divulgados

As principais razões para isso são os cortes de custos e o fim da dor-de-cabeça com as negociações sobre as particularidades de cada política local de operações — vale destacar que esses “detalhes” impediram a companhia de funcionar da mesma maneira em certos estados do próprio país, a exemplo de Connecticut e Novo México.

Musk acredita que essa alteração também vá facilitar todas as solicitações dos usuários via app, já que os responsáveis pelo atendimento local serão transferidos para assistência digital — a ideia é resolver as exigências dos consumidores no mesmo dia. Ele até mesmo diz que será possível devolver o veículo no prazo de 7 dias ou com ou no uso 1.000 milhas (1.609 quilômetros).

teslaFonte: Tesla

A companhia aproveitou para finalmente anunciar a chegada do Model 3 que pode rodar 220 milhas (354 quilômetros) com apenas uma carga, a US$ 35 mil. O executivo, claro, não deu muitos detalhes sobre quantas lojas foram fechadas — ou quantos funcionários foram demitidos — e apenas disse que os locais mais movimentados continuarão com unidades que servirão como galerias para quem quiser dar uma olhadinha mais de perto antes de comprar.