A revista Consumer Reports anunciou sua lista anual de recomendações e um dos modelos da Tesla, o Model 3, não faz mais parte da dela. A avaliação atual é resultado das análises feitas pelos consumidores no ano de 2018, no período que vai de julho a setembro.

A Tesla não gostou do resultado, e respondeu à CR dizendo que, além de seus carros serem os veículos mais seguros e de melhor desempenho disponíveis atualmente, a companhia leva muito a sério o retorno de seus clientes.

A Tesla também afirmou que já havia trabalhado para corrigir algumas falhas desde o ano passado. No entanto, a CR indica que muitas das reclamações são em relação a defeitos físicos, como peças externas folgadas e vidros defeituosos, o que não pode ser reparado através de atualização de software.

Fonte: Sean O’Kane/The Verge

Com a saída do Model 3 da lista de recomendações, a Tesla caiu 11 pontos no ranking de marcas da revista, em comparação com 2018, chegando ao 19º lugar, sua posição mais baixa em todos os tempos. A notícia contribuiu para derrubar as ações da montadora em 3,7 pontos percentuais, que passaram a valer R$ 291,23.

Em 2018, a Tesla foi a montadora americana mais bem colocada, tendo conseguido o 8º lugar no ranking das marcas. Agora, Jake Fisher, diretor de testes automotivos da CR, disse que todos os três modelos de carros elétricos da companhia possuem confiabilidade abaixo da média e que a revista não pode recomendar nenhum deles.

Embora o Model 3, Model S e Model X já tenham entrado e saído da lista de recomendações da CR, Fisher disse que, desta vez, a situação do Model 3 é um pouco mais complicada, já que muitos dos problemas apresentados são físicos e, as correções aplicadas pela Tesla foram apenas para as unidades em linha de produção, não para os carros que já tinham sido vendidos.