Polícia de Nova York manda Google parar de revelar locais de blitz no Waze

2 min de leitura
Imagem de: Polícia de Nova York manda Google parar de revelar locais de blitz no Waze
Avatar do autor

Todo mundo que usa o Waze sabe que uma de suas principais utilidades é mostrar se há acidentes ou barreiras impedindo o tráfego. E é comum os motoristas alertarem quando há blitze, posto de oficiais  e radares, para evitar que os condutores na região levem multas. Essa atitude é recorrentemente criticada por parte das autoridades e agora a polícia de Nova York decidiu ser mais rígida com o app e sua empresa-mãe, a Google.

O próprio Google Maps vem construindo um sistema semelhante e a bronca do New York Police Departament (NYPD) é a mesma de outras delegacias: com os avisos, os infratores podem driblar facilmente os sensores de velocidade e as batidas policiais. O órgão emitiu uma ordem para a companhia dar um jeito nisso, sob pena de ação judicial.

A publicação dessas informações para consumo público é irresponsável, diz o NYPD

“As pessoas que postam os locais de blitz podem estar envolvidas em conduta criminosa, uma vez que tais ações podem ser tentativas intencionais de impedir e/ou prejudicar a administração das leis de trânsito e outras leis criminais relevantes. A publicação dessas informações para consumo público é irresponsável, uma vez que serve apenas para ajudar motoristas com problemas físicos e embriagados a evitá-los e incentivar a direção imprudente. Revelar a localização dos postos de controle coloca em risco os motoristas, seus passageiros e o público em geral”, argumenta o documento do NYPD.

Google responde e não parece desistir da funcionalidade

Um porta-voz da empresa falou ao The Verge sobre o assunto: “segurança é uma das principais prioridades ao desenvolver recursos de navegação na Google. Acreditamos que informar os pilotos sobre radares de velocidade futuras permite que eles sejam mais cuidadosos e tomem decisões mais seguras quando estiverem na estrada”.

Vale destacar que não é a primeira vez que a Google e o Waze são alvos dessas críticas. Um grupo da Associação Nacional dos Xerifes dos Estados Unidos pediu a remoção dos alertas em 2015. Alguns oficiais chegaram a publicar falsos radares de velocidade no Waze e a Apple já cedeu a pedidos no Congresso, limitando a postagem de alertas em aplicativos de trânsito somente sob autorização das agências de segurança.

wazeFonte: Kaspersky

Como a Google vem liberando interações de usuários e avisos de radares aos poucos no Google Maps e o Waze acaba de lançar sinais de onde ficam os beacons rastreadores em alguns túneis de Nova York, não parece que a bronca do NYPD vá surtir muito efeito tão cedo.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Polícia de Nova York manda Google parar de revelar locais de blitz no Waze