Robô com “traseiro suado” testa durabilidade dos bancos de carros da Ford

1 min de leitura
Imagem de: Robô com “traseiro suado” testa durabilidade dos bancos de carros da Ford
Avatar do autor

Já chegou a pensar o quanto o banco de seu veículo pode se desgastar a cada vez que você se senta todo suado depois de sair da academia ou voltar de uma corrida? Pois é, essa é uma preocupação de muita gente e é legítima, pois realmente pode comprometer a qualidade do assento com o passar do tempo.

Mas a Ford criou um sistema para assegurar a durabilidade dos materiais usados no veículo, “acompanhando as mudanças de estilo de vida dos consumidores”, segundo a própria empresa. Um “traseiro robótico” simula uma pessoa sentada após se exercitar, com uma espécie de almofada que pressiona a base mais de 7,5 mil vezes, em um processo que dura 3 dias e simula o uso de uma década inteira.

Com o sugestivo nome de “Robutt”, o aparato reproduz o peso e as dimensões de um homem grande em sudorese, a 36° C e com uma transpiração de 450 mililitros de água — uma pessoa pode produzir em média até 1,4 litro de suor por hora quando malha. Confira o vídeo de demonstração:

“Os carros fazem parte da nossa vida e a prática de exercícios físicos também está sendo incorporada à rotina de muitas pessoas. Nem sempre elas conseguem tomar um banho ou mesmo se enxugar antes de ir para casa. O ‘Robutt’ é uma maneira de garantir que os bancos dos nossos carros se mantenham intactos por muitos anos sob diferentes condições de uso”, diz Florian Rohwer, engenheiro do Laboratório de Desenvolvimento de Carroceria e Chassi da Ford Europa.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Robô com “traseiro suado” testa durabilidade dos bancos de carros da Ford