Nos Estados Unidos, pedir um Uber pode significar amis do que pagar por uma carona com água e balinhas. Alguns carros da empresa oferecem, ainda, a venda de bebidas e lanches rápidos para os passageiros, que pagam e consomem tudo na hora sem qualquer cerimônia.

A novidade é oferecida por uma parceria com a Cargo System, empresa de Nova York e que já trabalha com 12 mil carros da Uber e da Lyft, serviço de caronas rival que atua em algumas partes do mundo. A empresa existe desde 2016 e já recebeu um aporte de US$ 30 milhões de vários investidores.

Recentemente, a iniciativa se tornou ainda mais simples: um acordo com o serviço de pagamento móvel Venmo permite que as transações sejam realizadas de modo instantâneo. De acordo com a Cargo, uma transação é realizada a cada 5,39 segundos e os produtos comercializados nos veículos alcançam 9 milhões de passageiros por mês.

UberNos EUA, alguns Uber já oferecem bebidas e lanches rápidos para os passageiros.

Os produtos são oferecidos aos clientes por meio de parceria com as fabricantes e, levando em conta que há um perfil dominante entre os usuários de caronas compartilhadas — os jovens da Geração Y —, há um nicho bem claro para ser explorado. Além disso, as pessoas usam cada vez mais Uber e afins para se locomoverem.

“Em 2017, o mundo passou cerca de 2 bilhões de horas ao todo em veículos de carona compartilhada”, afirmou ao Bloomberg o presidente e cofundador da Cargo Jeff Cripe. “A projeção é de que esse número aumentará”, indicando um caminho bastante lucrativo peal frente.

Os motoristas que participamdo da parceria não precisam vender nada e não são envolvidos nesse processo. Contudo, eles arrecadam um valor extra para isso e a estimativa é de que cada um ganhe em média US$ 100 mensais apenas por carregar uma caixa com produtos na parte de trás do veículo.

Será que a novidade tem chance de chegar e dar certo por aqui?