A BMW vinha trabalhando há 2 anos em um projeto para criar uma moto que anda e estaciona sozinha. E eis que surge o primeiro protótipo.

Preocupada com a incidência de acidentes com mortes, que, de acordo com as estatísticas, é muito maior envolvendo pilotos de motocicletas do que motoristas de carros, ela produziu a moto, que vai ajudar a identificar os principais problemas enfrentados durante as fatalidades e servir como base para desenvolver tecnologias que ajudem a minimizá-las.

A BMW Motorrad, divisão da BMW para motocicletas, apresentou o resultado de seus esforços. Um pequeno vídeo mostra um modelo BMW cruzando uma pista de testes sem motorista, partindo de uma parada, inclinando-se em curvas e freando sozinho.

A ideia da BMW é usar parte da tecnologia de suas motocicletas para oferecer “mais estabilidade em situações críticas de pilotagem”. Muito semelhante ao modo como os carros novos têm se tornado mais lentos, mas certamente dotados de recursos como freios de emergência automáticos ou guia de percurso, a BMW aparentemente quer começar apenas ajudando a reduzir os acidentes mais evitáveis.

Traduzir esses tipos de recursos de assistência ao motorista para uma motocicleta certamente será um desafio. Você pode programar um carro para acionar os freios a fim de evitar uma colisão, e o motorista provavelmente ficará bem. Mas se você fizer isso em uma motocicleta, o piloto voará da moto. Dado o nível de controle que os motociclistas têm sobre o equilíbrio de suas bicicletas, mesmo correções automatizadas sutis podem criar um novo perigo.

É bom saber que um grande fabricante de motocicletas está disposto a lançar alguns recursos para incrementar a segurança no trânsito, já que muitos dos avanços mais recentes nessa área têm surgido de startups.