Um drone da Fundação Nacional do Índio (Funai) captou imagens de uma etnia isolada na Terra Indígena Vale do Javari, no estado do Amazonas. De acordo com a Funai, não houve contato direto com os locais — o drone apenas sobrevoou a região, encontrando os índios pela região perto dos afluentes dos rios Jutaí e Juruazinho.

A equipe da Funai “percorreu mais de 180 quilômetros em embarcações pelos rios, caminhonetes por estradas de terra, motos em trilhas fechadas e outros 120 quilômetros a pé, dentro da mata densa” para chegar próximo ao local de difícil acesso. A Funai garante que a missão tem como meta proteger os índios de lá.

A vigilância e a fiscalização devem ser intensificadas na região para coibir a ação de infratores e garantir a posse plena do território pelos indígenas

No local, existem 16 registros em estudo de índios isolados, 11 deles já confirmados. Ainda, a Funai afirma que entrou em contato com os seguintes povos: matsés, matis, marubos, kanamaris, korubos, kulina-panos e tsohom djapas.

"Essa é a terceira expedição terrestre de monitoramento dos índios isolados em menos de 1 ano nessa região. Outros dois sobrevoos também foram realizados nesse período. A proposta é manter um trabalho contínuo da FPEVJ, a partir de Eirunepé (AM), ampliando-o para outras áreas de circulação dos índios isolados no alto curso dos rios Jutaí e Itaquaí. A vigilância e a fiscalização devem ser intensificadas na região para coibir a ação de infratores e garantir a posse plena do território pelos indígenas", afirmou Vitor Góis, servidor da Funai que coordenou os trabalhos em campo.

As atividades contaram com apoio local da Coordenação Regional do Juruá/Funai, em Cruzeiro do Sul (AC), e da Coordenação Técnica Local da Funai em Eirunepé (AM).