No ano passado, a Porsche revelou a produção de sedan elétrico que viria para ser um concorrente à altura do Model S, da Tesla. Eis que agora o que era chamado de Mission E ganhou um nome oficial durante as celebrações dos 70 anos da Volkswagen, dona da Porsche: Taycan, que vem do alemão “cavalo jovem e animado”, em referência ao cavalo saltitante no brasão da empresa.

O problema é que já teve bastante gente que não gostou — e preferia o ar misterioso de “Mission E” — e Taycan também pode ser ouvido como “empate”, dependendo da pronúncia.

Preferências de nome à parte, o Taycan conta com dois motores elétricos, um na frente e outro na parte traseira, e conta com 600 HP, podendo ir de 0 a 96,5 km/h em menos de 3,5 segundos. O veículo tem autonomia de 482,8 quilômetros com sua carga de 90 kWh cheia. Ele tem suporte para a recarga rápida, que pode alimentar até o equivalente a um tanque para 402 quilômetros de rodagem em apenas 20 minutos.

A máquina deve estar à venda a partir de 2019 e os preços devem ficar entre US$ 80 mil (R$ 296 mil, na conversão direta) e US$ 90 mil (R$ 333 mil).