A Tesla, companhia de automóveis elétricos do CEO Elon Musk, liberou parte do código-fonte do sistema Autopilot, que automatiza algumas funções do carro, e também do software de entretenimento utilizado nos modelos Model S e Model X.

A empresa era criticada pelo fato de não cumprir as regras da Licença Pública Geral GNU (GPL). Ela exige que todo trabalho derivado de um produto originalmente licenciado pela GPL só pode ser distribuído utilizando a mesma licença. Isso significa que o código deveria ser disponibilizado para a comunidade.

Um carro Tesla Model S.

A medida rendeu uma carta da organização Software Freedom Conservancy parabenizando a Tesla por “dar o primeiro passo rumo ao cumprimento com a GPL”. O material liberado não é da versão mais recente utilizada nos carros da empresa, mas a Tesla promete que vai seguir acompanhando as atualizações. Como esperado, ele não inclui as partes proprietárias do código. Você pode conferir tudo no GitHub.

Como notou o hacker verygreen, que foi ouvido pelo site Electrek, a medida reduz as chances de a empresa ser alvo de uma ação legal por descumprir as regras da licença. Além disso, a novidade vai facilitar o trabalho de especialistas em segurança, que poderão investigar mais a fundo o código dos produtos, possivelmente resultando na correção mais rápida de falhas.