O Instituto Smithsoniano, um complexo de museus em Washington, nos Estados Unidos, apresentou oficialmente o seu novo e atípico funcionário, no mês de abril: um robô chamado Pepper, que interage com os visitantes, narra informações sobre as exibições, é capaz de responder às indagações e até mesmo posa para selfies, com o público do museu.

O robô de pouco mais de 1 metro de altura, com traços humanoides, foi criado pela corporação japonesa Softbank, que fez uma doação no total de 30 robôs ao Instituto, no ano passado. Em comunicado, o representante Steve Carlin disse que, ao interagir com os visitantes do museu e dar informações sobre as exibições, Pepper ajudará a guiar a experiência educacional do público. 

1

Além de inteligente, Pepper é simpático. Agrega ao passeio com bastante entretenimento, devido à curiosidade que gera, mas também por estar frequentemente dançando ou posando para fotos. Essas atividades certamente vão chamar atenção e atrair as pessoas a visitar mais os museus. Pelas imagens da CNN, é possível ter uma boa ideia de como Pepper faz suas interações e como as pessoas respondem positivamente a elas. 

O Instituto, cujo nome homenageia o cientista britânico James Smithson, é um complexo de 19 museus e outros centros ligados à pesquisa e educação. Ele terá o inusitado guia turístico animando os corredores de pelo menos cinco de seus prédios, incluindo: Museu Nacional de Arte Africana; Museu Nacional da História e Cultura Afro-Americana; Museu Hirshhorn; o Castelo Smithsoniano e o Centro Smithsoniano de Pesquisa do Meio Ambiente.