O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB-RJ), vai regulamentar ios serviços de aplicativos de transporte como Uber, Cabify e 99. A medida é uma resposta à aprovação do projeto de lei na Câmara dos Deputados. O próximo passo é, assim como nos municípios onde as alternativas de transporte já funcionam legalmente, estudar qual será o repasse das companhias com relação às taxas e impostos.

“Foi votado que os municípios deverão regulamentar o serviço. É preciso que a Uber pague taxas, pague impostos. Eles usam as ruas, a infraestrutura da cidade. Tem que contribuir como contribuem os táxis. Já estou com a regulamentação na mesa”, afirmou Crivella ao periódico O Globo, sem estabelecer datas para a conclusão do trabalho.

Vale lembrar que o Uber afirma ter arrecadado mais de R$ 972 milhões em PIS, Cofins, Imposto de Renda, ISS e outras contribuições locais, de acordo com cada região. Em Curitiba e São Paulo, por exemplo, o cálculo é feito sobre os quilômetros rodados de cada veículo registrado junto às empresas.

O Rio atualmente opera com um serviço oficial do município que distribui as corridas de táxi, o Táxi.Rio, que em janeiro deste ano completou três meses e quase 214 mil corridas realizadas por mais de 14 mil taxistas. O faturamento foi de R$ 4,2 milhões nesse período, com descontos de até 31,5% e economia de R$ 1,95 milhão aos passageiros.

Cupons de desconto TecMundo: