Todo o fã de bebida tem uma história maluca/estranha/engraçada envolvendo um porre. Mas precisamos admitir que poucos conseguem ter um caso tão inusitado (e doloroso para o bolso) quanto o residente da Filadélfia Kenny Bachman. Basicamente, o norte-americano tomou a responsável atitude de pedir um Uber para casa, depois de uma noite de bebedeira com seus amigos em uma viagem para Morgantown, Virgínia Ocidental.

O problema? Por “casa” nós não nos referimos ao local onde ele estava na cidade, e sim em sua casa mesmo, na Filadélfia – a mais de 480 km de distância. Resultado: uma conta de mais de US$ 1.600 pela viagem.

“Eu acabo de acordar e eu estou pensando, ‘por que diabos eu estou no carro do lado de um cara aleatório que eu nem conheço”, relatou Bachman ao NJ.com, quando acordou após duas horas de viagem. Diante da situação, ele preferiu apenas seguir o caminho a ser deixado no meio da estrada.

Pagou ainda mais caro

Obviamente, o humor da situação desapareceu rapidamente quando Bachman viu os mais de US$ 1,6 mil de tarifas. Isso sem falar no fato de que o motorista não possuía dinheiro para pagar nenhum dos pedágios pelo caminho – algo que o pobre passageiro também se prontificou a pagar.

Não deve ser surpresa saber que toda essa brincadeira rendeu um review de cinco estrelas para o motorista. Mas Bachman nota que está atualmente contestando a conta da viagem. Em seu relato, o passageiro conta que não colocou o endereço de sua casa no app; além disso, o motorista estava com o celular dele em mãos, chegando a atender uma ligação de FaceTime feita por um amigo enquanto ele dormia.

“Obviamente eu pedi o Uber, eu não sei para onde, eu sei que eu não iria mandar ele para minha casa, eu sabia onde eu estava”, começou ele. “Ele estava no meu celular, sem eu permitir”, continuou Bachman. Não que o relato de alguém completamente bêbado, naquela situação, possa ser considerado uma testemunha confiável, convenhamos.

Seja como for, o fato é que Bachman aceitou pagar a viagem, no fim das contas. Então fica a mensagem: da próxima, é melhor deixar o trabalho de chamar o Uber para o mesmo cara que ficar de dirigir naquela noite.