O trabalho de médicos geralmente é puxado: eles passam horas a fio atendendo pacientes e preocupados com os mais diversos tipos de problemas de saúde. Além disso, há uma parte bem chata – ainda que essencial – na rotina dos doutores, que é registrar as consultas para manter um histórico médico dos tratamentos, afinal, sempre que você retorna no consultório, o profissional de saúde precisa lembrar de onde parou e o que exatamente está acontecendo contigo.

Pesquisas mostraram que muito tempo é perdido por médicos anotando os detalhes de suas consultas – cerca de 6 horas inteiras em uma jornada de trabalho de 11 horas, ou seja, mais da metade do período. E para tentar dar mais tempo produtivo para os doutores, pesquisadores da Universidade de Stanford estão usando o sistema de reconhecimento de voz da Google para realizar transcrições das consultas médicas.

Tarefa árdua

O desenvolvimento de um sistema que seja capaz de realizar essa atividade com sucesso pode significar um grande passo para a medicina do dia a dia

O trabalho não é fácil: usando o mesmo sistema utilizado pela Google Assistente ou no Tradutor, os pesquisadores querem aprimorar o reconhecimento de voz para que ele não apenas seja capaz de registrar as palavras faladas com precisão, mas também de distinguir diferentes locutores e saber quem está falando o que, médico ou paciente.

O desenvolvimento de um sistema que seja capaz de realizar essa atividade com sucesso pode significar um grande passo para a medicina do dia a dia, gerando médicos mais produtivos, atenciosos e que tenham a possibilidade de atender mais pessoas com melhor qualidade.

Informações sensíveis

Estamos caminhando para um mundo onde os médicos poderão dedicar mais tempo a coisas mais importantes

Porém, alguns problemas ainda incomodam os estudiosos: os melhores sistemas de reconhecimento de voz que existem ainda têm uma margem de erro de 18,3%, o que é bom, mas não livre de falhas. Outra questão diz respeito à privacidade dos registros pessoais de pacientes – tudo deve ser armazenado em sigilo, o que é responsável do médico.

Seja como for, estamos caminhando para um mundo onde os médicos poderão dedicar mais tempo a coisas mais importantes do que ficar registrando as consultas – tudo com a ajuda da Google, é claro.