Imagine uma cidade onde ter ou até mesmo usar um carro é algo completamente opcional: essa é a proposta do governo da Coreia do Sul com o International Business District, uma cidade que está sendo projetada do zero para que seus residentes não precisem usar veículos para se locomover.

O projeto, que está sendo planejado para a região de Songdo, terá um custo de US$ 35 bilhões e começou em 2002. O planejamento foi todo feito com foco nos meios de transporte públicos, como metrô e ônibus, além dos alternativos, como bicicletas.

Songdo

A empresa responsável por fazer o IBD acontecer é a Gale International, e a expectativa é de que o distrito esteja pronto em 2020, com um tamanho aproximado de 9 milhões de metros quadrados.

Outro aspecto é fazer com que a área, localizada às margens do Mar Amarelo, seja ambientalmente amigável também. O planejamento urbano é pensado de forma que estruturas de comércio, escritórios, hospitais e parques sejam todos localizados próximos à área residencial – permitindo que as pessoas possam se deslocar a pé.

Para a galera que gosta de pedalar, o IBD contará com 24 quilômetros de ciclovias que se conectarão a uma rede ainda maior, de 144 quilômetros, na cidade de Songdo. Cerca de 40% das áreas do distrito serão reservados para espaços verdes, o que representa o dobro do que existe hoje na cidade de Nova York, por exemplo.

Uma curiosidade é que, para eliminar ainda mais a necessidade de veículos, a coleta de lixo não envolve caminhões: tudo é colocado em tubos pneumáticos que sugam os resíduos e os enviam diretamente para centros de separação, onde são reciclados ou transformados em energia.

Atualmente, 70 mil pessoas vivem em Songdo – um número bem abaixo dos 300 mil estimados pelo governo sul-coreano.