Contratempos envolvendo o Uber e outros serviços de tecnologia e transporte com taxistas e legislações locais não são exclusividade das cidades brasileiras: em todo o mundo há resistência com a chegada da novidade e em alguns lugares a reação do governo é mais severa. Depois de vários protestos da categoria, a Grécia cedeu e estuda a implantação de uma lei que obriga aplicativos de compartilhamento de viagem a contratar motoristas em tempo integral.

Preço da "placa" para atuar em um táxi na Grécia custa US$ 235 mil, quase R$ 740 mil

Segundo a Reuters, a ideia é regularizar a situação com uma faixa intermediária de profissionais, que teriam 3 anos de licença para atuar no setor. Para conseguir a documentação seria necessário cumprir com exigências maiores do que as atuais, incluindo a chamada “compra de placa” de táxi. De acordo com o Engadget, a vaga custa atualmente US$ 235 mil (algo em torno de R$ 740 mil), o que dá uma dimensão da razão da fúria dos motoristas tradicionais.

táxi taxistas gréciaTaxistas vêm pressionando as autoridades gregas

Ainda que o Uber seja muito popular por lá, é o Taxibeat que na verdade detém o título de app mais popular desse gênero no país, com parceria de mais de 8 mil taxistas e 1 milhão de usuários ativos. Por isso mesmo, a companhia vem se opondo a essa regulamentação e mobilizando uma petição online com mais de 30 mil assinaturas contra o projeto.

Isso tudo ainda deve dar o que falar até o resultado de sua votação, até porque isso poderia abrir precedente a ser explorado nas demais regiões que registram discussões semelhantes.