Muitas montadoras estão tentando buscar uma forma de aumentar a autonomia dos seus carros elétricos e algumas delas já cogitaram usar a energia solar para ajudar, só não tinham encontrado uma forma de aplicar isso – mas isso está prestes a mudar, se depender da Audi.

A alemã conseguiu, em parceria com a empresa chinesa especializada em energia solar Hanergy, desenvolver uma película que funciona como uma célula fotovoltaica que pode ser embutida no teto panorâmico dos veículos. A montadora acredita que as células podem ser aplicadas em todo o teto, o que pode dar um fôlego extra significativo.

O grande problema de usar energia solar nos carros era que a contribuição era relativamente baixa, mas a ideia da Audi é usar essa energia extra para alimentar componentes como ar-condicionado e aquecedores de bancos.

Uma terceira parceira nessa história toda é a Alta Devices, na Califórnia, que é quem vai produzir de fato as películas, que vão funcionar também em situações de baixa luminosidade, mas com altas temperaturas. Por ser praticamente imperceptível, o impacto estético da tecnologia é mínimo e o retorno é relevante.

A Audi pretende colocar o novo acessório em um protótipo ainda em 2017 e, caso tudo corra bem, é possível que veículos de 2018 já venham com a tecnologia. Ainda não é a revolução esperada pela indústria, mas já é um primeiro passo.