Um estudo encomendado pela companhia elétrica britânica Drax e conduzido pela Imperial College London mostrou que os carros elétricos estão duas vezes mais ecológicos do que há cinco anos, graças à adoção cada vez maior de fontes de energia renovável – o que inclui fazendas de energia solar e turbinas de energia eólica.

Em 2012, carregar um Tesla Model S criava o equivalente a 124 gramas de CO2 por quilômetro rodado, mas o número chegou em 41 gramas por quilômetro no verão e 74 gramas no inverno – número próximo de um Toyota Prius, um dos híbridos mais “verdes” da atualidade.

A diferença se dá pela sazonalidade na disponibilidade de luz solar, que é varia significativamente mais em regiões mais afastadas da Linha do Equador – e “fazendas solares” são relativamente populares no Reino Unido, onde o estudo foi feito.

O documento também mostrou que o uso de carvão na geração de energia caiu de 20% para 6% no ano passado. Dr. Ian Staffel, um dos responsáveis pelo relatório, afirma que o argumento de que os veículos elétricos eram mais poluentes na ponta era parcialmente verdadeiro há algum tempo.

“De acordo com nossa análise, olhando para alguns dos modelos mais populares, eles não eram tão ecologicamente corretos até recentemente, mas agora, graças à rápida descarbonização da geração de energia, eles estão bem melhores”, explicou.