Propaganda é a alma do negócio e algumas empresas fazem isso muito bem: a Boeing, por exemplo, usou um 787 Dreamliner para promover... bem, o próprio 787 Dreamliner.

Mas não pense que foi fazendo um evento ou qualquer coisa do tipo: a fabricante de aeronaves usou o seu avião para desenhar um 787 ao longo dos Estados Unidos – um processo que envolveu um planejamento minucioso e 18 horas de voo.

“Em vez de voar em padrões diversificados, o time de testes foi criativo e criou uma rota que desenhou um 787-8 nos céus ao longo de 22 estados”, explicou um porta-voz da Boeing para o site Business Insider.

A empresa já havia feito algo muito parecido com o lançamento do 737 MAX: os engenheiros aproveitaram a autonomia de voo de oito horas da aeronave para desenhar um MAX entre os estados de Washington e Montana.

A parte mais interessante é que o bico do avião aponta justamente para a sede da Boeing, em Washington. As asas se estendem de Michigan até o Texas, enquanto a cauda chega no estado do Alabama.