Até que alguém crie uma solução realmente inovadora, os veículos elétricos ainda precisam de baterias para fornecer energia para os propulsores. Eis que a Volkswagen fez uma previsão um tanto quanto preocupante: se a indústria não focar na criação de plantas de fabricação de baterias, como as Gigafactories da Tesla, o componente poderá ser um ponto de gargalo e um obstáculo no caminho para o futuro elétrico dos automóveis.

Ulrich Eichhorn, diretor da área de Pesquisa e Desenvolvimento da marca, afirma que a humanidade precisa construir o equivalente a 40 gigafactories até 2025 para dar conta da demanda por baterias para veículos elétricos. Isso porque, daqui oito anos, a estimativa é que 25% das vendas serão representadas por carros equipados com células de bateria que, se nada mudar nos próximos anos, serão de íon-lítio.

A Tesla foi a primeira a apresentar a ideia de uma fábrica dedicada à produção massiva de baterias, a sua Gigafactory

A Volkswagen estima que sua demanda energética vai ser equivalente a 150 GWh de de eletricidade. Com base nisso, a montadora sozinha necessitaria de cinco complexos de produção que ficariam encarregadas de produzir 35 GWh por ano. Agora, junte todas as outras montadoras e empresas que estão querendo surfar na onda dos elétricos e a conta pode chegar a 1,5 TWh.

Embora diversas companhias estejam trabalhando para evoluir a tecnologia aplicada nas baterias, as mudanças podem levar algum tempo para chegarem às linhas de produção, mesmo após a chegada dos veículos elétricos.