A Mercedes já deixou clara a sua intenção de fazer veículos elétricos acontecerem e, para isso, ela sabe que precisa de baterias. Sendo a Mercedes-Benz, ela quer fazer o que precisa ser feito: abrir uma fábrica na China para produzir baterias – e, para isso, ela vai investir US$ 740 milhões, o equivalente a R$ 2,4 bilhões.

O anúncio foi feito ontem e a Daimler, grupo dono da marca Mercedes, explicou que vai trabalhar com uma empresa parceira local, a BAIC Motor, para fazer a fábrica sair do papel. Ela não vai servir apenas para produzir baterias para veículos elétricos, mas será usada também para fabricar os carros elétricos da Mercedes-Benz por lá.

“Até 2025, o mercado chinês vai responder por uma parte substancial das vendas dos veículos elétricos da Mercedes-Benz”, explicou Hubertus Troska, membro do conselho da Daimler AG. “Assim sendo, a produção local será a chave para o sucesso de nosso portfólio de VEs e crucial para flexibilizar o atendimento à demanda local por esse tipo de veículo”.

A expectativa é que a Daimler invista cerca de US$ 1,13 bilhão na produção de baterias no mundo todo, com um foco especial no mercado europeu e chinês. Ela já conta com uma planta em Kamenz, na Alemanha, para a fabricação das células de energia.

Segundo o plano da Mercedes-Benz, a marca pretende colocar 10 novos modelos elétricos no mercado até 2022, com a esperança de que os modelos eletrificados respondam por cerca de 15 a 25 por cento de suas vendas até 2025.