Shaman King: tudo sobre o remake do anime de ação

Imagem de: Shaman King: tudo sobre o remake do anime de ação
Imagem: IMDb

Estreou na Netflix a quarta e última parte do remake de Shaman King. O anime conta com os 52 episódios exibidos no Japão, com opção de áudio original, além da dublagem para o português. A trama acompanha um garoto que participa de um torneio para se tornar o próximo rei xamã e é uma adaptação do mangá homônimo.

Se interessou pelo shonen? Abaixo, nós apresentamos tudo o que você precisa saber antes de começar a maratonar o anime.

O mangá e a primeira adaptação

A primeira adaptação de Shaman King.A primeira adaptação de Shaman King.Fonte:  IMDb 

Lançado em 1998 pela revista Weekly Shonen Jump, o mangá é uma criação de Hiroyuki Takei. Na trama, acompanhamos o jovem Manta, um estudante não muito popular que um dia encontra um garoto misterioso conversando com espíritos em um cemitério.

No dia seguinte, Manta descobre que esse garoto, além de ser seu novo colega de turma, Yoh Asakura, é também um xamã e possui o poder de interagir com espíritos. A partir deste ponto, o anime segue a jornada de Yoh para participar do Shaman Fight, um torneio que irá nomear o próximo rei xamã, que irá cuidar do destino da Terra pelos próximos 500 anos.

O mangá contou com 31 volumes, lançados até 2004, quando a editora decidiu cancelá-lo antecipadamente. Apesar do pedido para que Takei concluísse a história, o mangaká não seguiu contando sua história, deixando os fãs sem saber qual seria a conclusão da trama e se Yoh Asakura se tornou o rei xamã.

Shaman King ganhou ainda um epílogo em um volume encadernado. Nele, eram apresentadas algumas histórias com Hana Asakura, o filho de Yoh. Porém, não era possível saber como seu pai havia concluído a jornada. Isso só aconteceu cinco anos mais tarde, quando uma versão definitiva foi lançada com 15 capítulos extras que concluíam a trama principal. No Brasil, quem ficou responsável por lançar o mangá completo foi a editora JBC.

A primeira tentativa de adaptar Shaman King para anime aconteceu em 2001 e a produção teve 64 episódios. A história acabou seguindo um caminho diferente da apresentada no mangá, e contou com um final com Yoh enfrentando seu irmão maligno Hao.

O anime chegou no Brasil com dublagem da Parisi Vídeo e distribuição da Fox Kids. A Globo obteve os direitos de transmissão em TV aberta, mas, diferente da Fox, não exibiu todos os episódios. Hoje, esta primeira adaptação está disponível no Amazon Prime Video.

Uma nova adaptação

Yoh Asakura no remake de 'Shaman King'.Yoh Asakura no remake de 'Shaman King'.Fonte:  IMDb 

Hiroyuki Takei sempre demonstrou interesse em apresentar aos fãs do mangá uma adaptação fiel e com o final que ele escreveu para a história. Por muito tempo isso não aconteceu por problemas de licenciamento e porque o magaká queria que os mesmos atores do primeiro anime fossem os dubladores da nova versão.

Apesar de ser comum renovar o elenco em remakes, em 2020, o estúdio Bridge conseguiu os direitos de adaptação, que teve a cantora Megumi Hayashibara voltando a dublar Anna, além de ficar responsável pelos novos temas de abertura e encerramento. Além disso, o restante do elenco também foi o mesmo.

Os episódios disponíveis na Netflix apresentam o arco completo de Yoh Asakura, inclusive com o final feito para a versão definitiva do mangá. O anime é uma oportunidade para os fãs de shonen conhecerem uma história que teve uma passagem discreta pelo Brasil e que, agora, pode atingir um novo número de fãs.