Último Tango em Paris: bastidores do filme serão expostos em minissérie

Imagem de: Último Tango em Paris: bastidores do filme serão expostos em minissérie
Imagem: United Artists

Segundo o que foi divulgado recentemente, os bastidores do filme Último Tango em Paris (1971), de Bernardo Bertolucci, serão tema de uma nova minissérie. A produção, intitulada provisoriamente como Tango, vai exibir as controvérsias envolvidas no longa-metragem em questão, que teve Marlon Brando e Maria Schneider nos papéis principais.

Ao que tudo indica, Jeremy Miller e Daniel Cohn, nomes por trás de Entourage e Boston Public, já estão desenvolvendo os roteiros do projeto, cuja direção ficará a cargo da suíça Lisa Brühlmann e do brasileiro José Padilha. A narrativa se aprofundará no período de pré-produção, na época das filmagens e também na pós-produção do filme.

Por meio de um comunicado oficial lançado à imprensa, os diretores falaram sobre o que mais lhes chamou a atenção na minissérie. Segundo Brühlmann, a oportunidade de estar mais próxima de um escândalo que marcou a história do cinema foi o principal fator que a fez querer participar do projeto. “Teremos, finalmente, a chance de dar voz a Maria Schneider”, comentou.

Já Padilha argumentou sobre como a atriz em questão foi tratada com indiferença após sofrer uma violência indescritível. “Estou emocionado por explorar uma história sobre a ética da arte, um assunto importante, mas muitas vezes negligenciado”, explicou.

Marlon Brando e Maria Schneider em cena. (United Artists/Reprodução)Marlon Brando e Maria Schneider em cena. (United Artists/Reprodução)Fonte:  United Artists 

Último Tango em Paris: entenda a polêmica por trás do filme de Bernardo Bertolucci

Em entrevista ao Daily Mail, em 2007, a atriz Maria Schneider revelou ao mundo que havia uma cena bastante incômoda para ela no corte final do filme. De acordo com a artista, Brando e Bertolucci teriam planejado a inclusão de uma sequência de sexo, que não estava prevista no roteiro, sem que ela soubesse.

“Me senti humilhada e, para ser sincera, acredito que fui violada, tanto por Marlon quanto por Bertolucci”, afirmou Schneider na época. Ela também alegou ter tido inúmeros problemas posteriores por conta dessa exposição e que seu sofrimento capturado pelas lentes da equipe era bastante real.

Bertolucci nunca pediu desculpas publicamente à atriz, que, inclusive, faleceu em 2011 em decorrência de um câncer de mama. Anos mais tarde, durante algumas entrevistas, o cineasta tentou apresentar sua visão sobre os fatos, mas deixou claro que não estava arrependido por ter conduzido a cena da maneira como foi vista pelo público.

Resta saber como a minissérie irá tratar do assunto. Vamos aguardar!