Round 6: série está sendo assistida secretamente na Coreia do Norte

Imagem de: Round 6: série está sendo assistida secretamente na Coreia do Norte
Imagem: Netflix

Em declarações para a emissora Radio Free Asia, fontes anônimas da Coreia do Norte revelaram que a série sul-coreana Round 6 vem entrando secretamente no país, sendo contrabandeada via dispositivos de transferência de dados para que residentes consigam assisti-la.

Segundo um residente da cidade de Pyongsong, ao norte da capital Pyongyang, o mercado ilegal na Coreia do Norte está gravando os episódios de Round 6 em dispositivos de armazenamento e transferência de memória, como unidades USB e cartões SD, que chegam no território através de navios e passam a ser distribuídos ao longo do país. Supostamente o interesse pelo conteúdo ocorreu após o vazamento de comentários sobre possíveis inspirações na vida da elite norte-coreana, que teria servido como base para as críticas sociais "capitalistas" do show da Netflix.

“Dizem que o conteúdo é parecido com a vida de funcionários de Pyongyang que lutam no mercado de câmbio como se fosse uma luta de vida ou morte”, disse a fonte. “Eles acham que o enredo do programa é um paralelo à sua própria realidade, na qual eles sabem que podem ser executados a qualquer momento se o governo decidir fazer deles um exemplo por ganhar muito dinheiro, mas todos eles continuam ganhando tanto quanto possível”.

A atração também movimenta o público mais jovem, que teria interesse em acompanhar as cenas de violência e brutalidade, mesmo que burlem a recém-aprovada lei de "Eliminação do pensamento e cultura reacionários", que acarreta pena máxima de morte por assistir, manter ou distribuir mídia capitalista, especialmente da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.

(Fonte: Netflix / Reprodução)(Fonte: Netflix / Reprodução)Fonte:  Netflix 

“Isso não ressoa apenas com as pessoas ricas, mas também com os jovens de Pyongyang, porque eles são atraídos por cenas de violência incomum. Além disso, uma das personagens é uma fugitiva norte-coreana e eles podem se relacionar com ela ”, comentou. “Eles assistem secretamente ao programa sob seus cobertores à noite em seus reprodutores de mídia portáteis.”

De acordo com o Washintgon Post, a cultura sul-coreana é considerada perigosa na nação vizinha desde 2019, quando um forte sistema de repressão foi implementado na Coreia do Norte. Desde então, as principais esferas artísticas da Coreia do Sul, acusadas de minarem a propaganda norte-coreana, vêm sendo constantemente combatidas, assim como as pessoas que incentivam sua distribuição.