#PorOndeAnda: Anna Torv, a Olivia de Fringe

Imagem de: #PorOndeAnda: Anna Torv, a Olivia de Fringe
Imagem: (Fone: Fox/Reprodução

Entre 2008 e 2013, Anna Torv fez um grande sucesso na TV com a série Fringe, onde ela deu vida à personagem Olivia Dunham uma agente do FBI que tinha poderes psíquicos após passar por algumas experiências enquanto era criança.

Fringe foi produzida por J.J. Abrams, contou com cinco temporadas e deu à Anna a visibilidade necessária para alavancar sua carreira. No entanto, desde o encerramento do programa exibido na Fox, a atriz tem trabalhado em poucas produções com a maioria sendo em sua terra natal, Austrália.

Confira #PorOndeAnda Anna Torv em 2021.

(Fonte: Fox/Reprodução)(Fonte: Fox/Reprodução)Fonte:  IMDb 

Carreira no teatro

Antes de estrelar Fringe, Anna criou uma carreira nos teatros. Sua estreia foi ainda criança na peça The Night Before Christmas.

Já adulta ela trabalhou em outros 12 projetos na área, incluindo uma participação na peça Hamlet, adaptada de Shakespeare, onde ela interpretou a personagem Ophelia.

O início na TV

Em 2002, Anna fez seus primeiros trabalhos na TV australiana com o filme White Collar Blue e a série Young Lions. Nos anos seguintes, ainda na Austrália, ela trabalhou em The Secret Life of Us e McLeod’s Daughters, antes de partir para uma jornada na TV britânica.

Anna fez dois trabalhos na Inglaterra, tendo atuado no filme para a TV, Frankenstein e na série Mistresses.

Dubladora de jogos de vídeogame

Entre os trabalhos realizados na TV britânica e seu vindouro sucesso nos Estados Unidos, Anna trabalhou no jogo de PlayStation 3 Heavenly Sword. Ela dublou a protagonista do game Nariko.

Posteriormente, em 2014, ela reprisou o papel, mas dessa vez na adaptação para os cinemas de Heavenly Sword com uma animação em CGI.

(Fonte: TriCoast Worldwide/Reprodução)(Fonte: TriCoast Worldwide/Reprodução)Fonte:  Darkstation 

Sucesso na TV norte-americana

Em 2008, Anna conseguiu um grande papel para estrelar como protagonista a então nova série da Fox, Fringe. O programa, uma ficção científica com toques sobrenaturais, exigiu de Anna uma boa atuação, o que foi recompensado com a atriz sendo premiada por quatro anos consecutivos — 2009, 2010, 2011 e 2012 — como Melhor Atriz na Televisão no Saturn Awards, uma premiação voltada para produções de Ficção, Fantasia e Terror.

A série foi exibida durante cinco temporadas na TV, contando com 100 episódios, e que teve seu encerramento em 2013.

Em paralelo ao seu trabalho em Fringe, ela fez uma participação no premiadíssimo drama da HBO The Pacific, uma minissérie “irmã” do clássico Band of Brothers, e que foi produzida por Steven Spielberg, Tom Hanks e Gary Goetzman.

No ano seguinte ao encerramento de Fringe, Anna foi escalada para interpretar a personagem Windsor, no novo projeto Open, que Ryan Murphy, o criador de American Horror Story, estava desenvolvendo para a HBO.

Ela trabalhou ao lado de Wes Bentley, Scott Speedman, Jennifer Jason Leigh. Michelle Monaghan, Aisha Tyler, Cheynne Jackson, Jaimie Alexander e Lina Esco.

Um piloto do programa chegou a ser gravado, no entanto, o projeto não foi aprovado pela HBO, o que acabou encerrando — por algum tempo — a carreira de Anna na América.

Volta para a Austrália

Apesar de fazer sucesso na América e ter potencial para desenvolver ainda mais a sua carreira internacional, Anna resolveu voltar para sua casa, trabalhando em novas produções australianas.

Ela trabalhou em 2015 na minissérie Deadline Gallipoli, atuando ao lado de grandes nomes internacionais como Sam Worthington, de Avatar e Charles Dance, o Tywin Lannister de Game of Thrones.

Entre 2016 e 2019 ela voltou a protagonizar uma produção, a série thriller policial australiana, Secret City, o que acabou lhe rendendo mais uma premiação. Ela venceu como Melhor Atriz no Logie Awards, uma respeitada e clássica premiação australiana.

Cruzando o pacífico novamente

Mais uma vez, Anna resolveu se aventurar nos Estados Unidos, mas agora para estrelar a série da Netflix, Mindhunter. Anna interpretou a Dra. Wendy Carr, uma professora de psicologia que trabalhava ao lado dos agentes do FBI que buscavam entender como funciona a mente de um criminoso, a fim de identificar padrões e antecipar os movimentos dos assassinos em série.

Anna Torv na série da Netflix, Mindhunter. (Fonte: Netflix/Reprodução)Anna Torv na série da Netflix, Mindhunter. (Fonte: Netflix/Reprodução)Fonte:  IMDb 

Mindhunter, mesmo tendo uma boa aceitação da crítica e do público, acabou sendo cancelada pela Netflix após a sua 2ª temporada, o que fez com que Anna retornasse mais uma vez para trabalhar na TV australiana.

Seu trabalho mais recente é o programa produzido pelo canal de TV australiano ABC, intitulado The Newsreader. A série ainda não tem uma data oficial para a sua estreia, porém, a previsão é que seja lançada na TV ainda em 2021.

Ela irá trabalhar ao lado de Robert Taylor, que ficou mundialmente famoso ao interpretar o Agente Jones, um dos agentes que perseguiam Neo (Keanu Reeves) no filme Matrix, de 1999.

Pequena carreira nos cinemas

Em paralelo a toda a sua movimentação entre as TVs australiana, britânica e norte-americana, Anna trabalhou em alguns filmes para o cinema, como The Daughter, em 2015, que contava com Geoffrey Rush, Miranda Otto e Sam Neill no elenco, e no terror Stephanie, ao lado de Frank Grillo.

Está com saudades de ver Anna Torv na TV? Qual outro ator ou atriz você gostaria de ver aqui no #PorOndeAnda? Diz aí nos comentários.

Fontes

#PorOndeAnda: Anna Torv, a Olivia de Fringe