A Microsoft foi pega de surpresa numa visita em massa – mais de 100 fiscalizadores – em quatro de seus escritórios na China nessa segunda-feira. A vistoria teria sido feita como parte de uma investigação antimonopólio e não havia sido anunciada.

Os investigadores buscavam informações em recursos de segurança da Microsoft e na maneira pela qual a companhia encaminha softwares. A empresa de Bill Gates rapidamente se pronunciou sobre o ocorrido assim que a notícia vazou ao público e disse que vai “cooperar ativamente” com o governo.

O veículo The Wall Street Journal reporta que as investigações na China teriam sido providenciadas por reclamações de companhias rivais ao longo do ano passado sobre problemas de compatibilidade com alguns softwares Windows e Office. Os oficiais que visitaram os escritórios chineses conversaram com alguns funcionários seniores da empresa e coletaram dados, contratos e relatórios financeiros como parte da “visita surpresa”.

Pressão em empresas de tecnologia norte-americanas

A postura da China com relação a essas investigações não é gratuita. As visitas à Microsoft ocorrem em função de uma recente pressão em companhias de tecnologia norte-americanas pelo governo chinês sobre questões de segurança relacionadas a espionagens da NSA.

A China também baniu o último sistema operacional da Microsoft, o Windows 8, dos computadores do governo, pegando a empresa de Bill Gates de surpresa.

Xbox One

A notícia das visitas surge semanas antes do Xbox One se tornar o primeiro console de video game na China desde que o governo do país baniu as vendas desses aparelhos em 2000. Coincidência ou não, os chineses estão rigorosos com os escritórios da Microsoft por lá.

Cupons de desconto TecMundo: