O CEO da Microsoft, Satya Nadella, quer fazer que a companhia pense de maneira diferente no futuro próximo, segundo uma carta aos funcionários divulgada publicamente no site da gigante dos computadores. O motivo do texto é o início do ano fiscal de 2015 da empresa, justificando a convocação do líder para que todos aqueles que trabalham na firma se preparem para um período de mudança organizacional e fiquem prontos para entrar em ação.

Para Nadella, é preciso que a Microsoft passe por uma reorganização e simplificação para que se torne mais leve e ágil, ganhando mais capacidade para antecipar tendências e apresentar inovações. Ele então explica que isso significa estruturas mais planas e afirma que está conversando com os líderes da empresa para garantir que será possível atingir a verdadeira essência da firma.

“Nós já nos descrevemos como uma companhia de ‘dispositivos e serviços’. Ainda que essa descrição tenha sido útil para começar nossa transformação, agora precisamos nos concentrar em nossa estratégia única”, afirma. Mais adiante, o CEO declara que, em seu núcleo, a Microsoft “é a empresa de produtividade e plataforma para o mundo concentrado nos dispositivos móveis e à nuvem”.

Nada de abandonos

Com o objetivo de “reinventar a produtividade para dar o poder para cada pessoa e cada organização no planeta conseguir fazer e conquistar mais”, Nadella ressalta iniciativas recentes como a assistente de voz Cortana, a ferramenta de tradução em tempo real para o Skype e a Enterprise Mobile Suite.

Ainda assim, o líder ressalta que essas alterações não significam que a empresa abandonará seu comprometimento com seus dispositivos mais populares, como os tablets da linha Surface e os consoles Xbox. Clique aqui para saber mais sobre os planos da Microsoft para o futuro dos seus video games.

Com relação à linha de tablets, Nadella cita o Surface Pro 3 como uma exemplo de como a companhia vai construir hardware próprio para impulsionar o ecossistema Windows. “Isso significa que por vezes iremos desenvolver novas categorias, como fizemos com o Surface. Isso também quer dizer que vamos criar responsavelmente o mercado para o Windows Phone, o que é nossa meta com a aquisição da divisão de dispositivos e serviços da Nokia”, explica.

Acelerando os apps

Além disso, “mudanças de engenharia e organização” serão feitas para auxiliar a empresa a se concentrar em sua missão principal, tornando seus times e processos “obcecados pelos consumidores, movidos pelos dados, orientados por velocidade e focados em qualidade”. Parte disso é um esforço para reduzir a quantidade de atividades e funcionários concentrados na tomada de decisões.

Somando-se a essa preocupação está a melhoria no treinamento e mais investimentos em recursos de Dados e Ciências Aplicadas em cada grupo de engenharia, o que ajudaria a Microsoft a acelerar seus processos de criação de software ao mesmo tempo em que mantém sua qualidade. Ou seja: apps e outros softwares para as plataformas Windows de PCs e dispositivos móveis não devem demorar tanto para sair.

Sobre coragem e ambição

Por fim, Nadella também reconhece em sua mensagem que o futuro que a companhia terá que encarar é desafiador. “Eu considero que o trabalho diante de nós é mais valente e ambicioso do que tudo o que já fizemos antes”, diz. Ele então encoraja os funcionários a ajudar a construir uma nova cultura para cultivar o futuro da empresa e afirma que “tradições ultrapassadas serão questionadas”.

Com a declaração, Nadella se demonstra pronto para encarar desafios e mudanças na Microsoft, despertando seus funcionários para trazer estratégia e visão renovadas. Com rumores de que companhia está planejando demissões e a aproximação do dia 22 de julho, data em que deve apresentar seus resultados financeiros para o ano fiscal anterior, o timing da carta certamente foi escolhido com cuidado. Resta esperar para ver o que vem por aí.

Cupons de desconto TecMundo: