Junto com portfólios de patentes e ativos da Nokia, a Microsoft também passou a ser responsável por cerca de 25 mil funcionários — sendo que pouco menos de 5 mil deles estavam alocados na Finlândia e mais de 18 mil eram divididos em setores de manufatura, empacotamentos e montagem de aparelhos ao redor do planeta. Mas você deve imaginar que essas pessoas não serão todas mantidas no plantel da Microsoft.

Sendo somados a mais de 100 mil outros funcionários da Microsoft, os colaboradores oriundos da Nokia passaram por alguma realocações e muitos deles prosseguirão suas atividades, mas é preciso lembrar que a divisão Mobile da Microsoft ainda está longe de ser rentável. Por essa razão, é certo que muitos deles serão cortados da empresa em um futuro próximo. O que não sabemos é a quantidade de pessoas que serão desligadas.

Por que isso é necessário?

Uma fonte ligada à Microsoft disse ao site GigaOm: “Ballmer [o CEO da Microsoft na época] comprou a Nokia e adicionou 25 mil pessoas e um negócio que não faz dinheiro! Então... Faça as contas!”. Em resumo, a Microsoft sabe que será difícil recuperar os US$ 7 bilhões investidos nas negociações de aquisição da Nokia e também sabe que mantendo funcionários além do necessário isso será ainda mais demorado.

Como já dissemos, ainda não há informações sobre quando vão acontecer os primeiros cortes, mas é importante saber que eles vão acontecer. Aparentemente, os setores que mais vão sofrer com isso serão: comunicações, recursos humanos, suporte aos consumidores, desenvolvimento de negócios, jurídico, finanças e atendimento ao desenvolvedor. Você faz alguma aposta sobre esta história?

Cupons de desconto TecMundo: