(Fonte da imagem: Reprodução/Microsoft)

Você consegue se imaginar conversando com seus amigos no chat do Facebook e digitando sem um teclado físico? Se você possui um smartphone, certamente sabe que isso é bem possível. Mas, cerca de cinco anos atrás, pensar em computadores ou quaisquer outros dispositivos eletrônicos sem a presença de um teclado “real” era algo praticamente impossível.

Isso é tão verdade que Steve Ballmer — atual CEO da Microsoft — chegou a afirmar que os iPhones da Apple não teriam sucesso comercial porque só utilizavam teclados virtuais, ao contrário de outros smartphones que estavam no mercado naquela época. Mas a história e os números de vendas do aparelho de Cupertino estão aí para nos mostrar que Ballmer estava errado.

Agora, a própria Microsoft começa a declarar que os teclados físicos devem deixar de ser algo essencial nos próximos anos. Andy Wilson, um dos principais pesquisadores da empresa de Redmond, afirma que os teclados físicos começam a se tornar “acessórios de nicho”. Isso significa que eles estão deixando de fazer parte das necessidades de todos os consumidores, sendo importantes para apenas algumas funções.

Isso incluiria a redação de textos mais longos e também programação de softwares, por exemplo, que são atividades que exigem mais precisão e realmente demandam a utilização de teclados. Para os outros consumidores, Wilson afirma que teclados virtuais, sistemas de reconhecimento de voz e sensores de gestos devem ser mais do que suficientes nos próximos anos.

 

Cupons de desconto TecMundo: