(Fonte da imagem: Reprodução/GeekWire)

Quem conhece a história da Microsoft sabe que a empresa foi fundada não só por Bill Gates, mas também por Paul Allen, que acompanhou o crescimento da companhia por vários anos. Mas enquanto o colega ficou mundialmente famoso (e ainda mais rico), Allen acabou quase no anonimato e chegou a discutir com o sócio, acusando-o até de traição

Porém, um epílogo recentemente adicionado à nova edição de seu livro, “Idea Man: A Memoir by the Cofounder of Microsoft” (sem tradução no Brasil), mostra que os dois podem ter se reaproximado. Após a morte da mãe de Allen, em junho deste ano, Gates teria enviado uma mensagem de apoio ao colega e dado indícios de que ambos poderiam reatar os laços e esquecer os problemas do passado. Os dois inclusive se encontraram durante os Jogos Olímpicos de Londres.

Briga feia

No livro, o autor descreve bastante a rotina e os hábitos do sócio, como a alimentação de Gates, considerada esquisita, e as tentativas do executivo, junto com o atual CEO Steve Ballmer, de tirar Allen da diretoria da Microsoft na época em que ele estava um pouco ausente para tratar de um câncer.

Allen e Gates no início da parceria. (Fonte da imagem: Reprodução/Winrumors)

Por ser sincero e contar em detalhes e sem ressentimentos o que aconteceu na empresa, Allen perdeu a amizade de vários outros funcionários da Microsoft, mas a maioria já teria superado as ofensas depois de um ano do lançamento da obra. Com Gates, isso também deve acontecer. “Eu acredito que seremos amigos novamente. A história que compartilhamos juntos é muito mais poderosa que qualquer coisa que fique entre a gente”, escreveu o autor.

Cupons de desconto TecMundo: