A Microsoft não poderia perder a oportunidade de elogiar o seu próprio produto. Aos poucos, o Edge é um navegador que ganha espaço no mercado, seja por (finalmente) oferecer suporte a extensões, sua interface amigável ou por sua habilidade em poupar bateria. Algo que, aliás, foi novamente ressaltado pela empresa.

Ela disse que, após a atualização de aniversário do Windows 10, o sistema operacional ficou “ainda mais eficiente” do que a versão anterior e, mais uma vez, comparado aos rivais, o browser se mostrou superior no quesito economia de bateria. Um laptop é capaz de aguentar até 45% mais fora da tomada se um usuário consumir Netflix dentro do Edge em vez do Chrome. Na comparação com o Firefox, essa diferença sobe para 69%.

A Microsoft diz ter atingido 12% mais eficiência em contraste com a versão existente antes da atualização de aniversário. Em testes com o Vimeo, por exemplo, o Chrome suga 11% mais bateria do que o Edge. Em termos mais técnicos, o consumo do navegador tem 450 milliwatts, comparados a 550 do Firefox e 770 do Chrome.

Taxa de uso da energia por navegador

Convém lembrar que foi a própria Microsoft que divulgou tais números. Os testes são “realistas e transparentes”, de acordo com a empresa de Bill Gates. Portanto, é de bom senso analisar os dados com precaução, pois ela defende o próprio peixe – algo que, atualmente, é muito comum na indústria.

Ainda assim, o Edge tem, de fato, esse mérito de poupar bateria como principal característica. O quanto isso se reflete em números, vai da experiência de cada um. O que você tem a dizer? Possui um laptop com Windows 10 e sente essas diferenças com o uso do Edge? Relate na seção destinada aos comentários, logo adiante.

Cupons de desconto TecMundo: