Lançada no final do mês de outubro nos Estados Unidos, a pulseira inteligente Band da Microsoft já está nas mãos – e pulsos – de alguns membros da imprensa internacional. Tentando verificar se a vida útil da bateria do novo vestível esportivo está de acordo com o que foi anunciado pela gigante dos computadores, o WM Power User vem registrando as estatísticas de consumo de energia da novidade.

Segundo o site, o aparelho realmente consegue alcançar a marca de 48 horas funcionamento quando utilizado com o GPS desligado. Durante os testes, a bateria levou 33 horas e meia para ir de 100% para 30%, o que permite estimar que duraria no mínimo 47 horas e 51 minutos. No entanto, como o mostrador só atualiza a capacidade restante de 10% em 10%, é possível que o valor real restante fosse de até 39%, o que faria permitiria aguentar até 55 horas de uso.

Nesse primeiro teste, o ritmo de descarga de energia foi de aproximadamente 2,09% por hora e os parâmetros de utilização do aparelho no período de 33 horas e meia foram os consideramos mais comuns para a maior parte dos usuários em potencial. As configurações foram as seguintes:

  • Duas noites de rastreamento de sono;
  • Modo Relógio ativado (mostra constantemente as horas na tela);
  • Conectado ao Bluetooth do celular em tempo integral;
  • Consultas à Cortana uma vez por hora, em média;
  • Recebimento de quatro ou mais notificações por hora.

Impacto do GP

Em um segundo teste da bateria, o WM Power User realizou uma corrida de 2 horas e 50 minutos com o GPS ligado, o que drenou aproximadamente 82,23% da bateria. Com chip de localização desligado, o Band levou mais 11 horas e meia para ficar completamente sem força. Durante o período em que correu com o recurso ativado, o repórter relata que passou metade do tempo com a tela ligada e a outra metade no Modo Relógio.

Usando o valor de 2,09% de energia consumida por hora durante o uso normal do aparelho, o site calculou que o consumo com o GPS ligado foi de aproximados 27,41% por hora, o que fornece uma estimativa de que a bateria iria de 100% a 0 em cerca de 3 horas e 39 minutos. Dessa forma, vemos que o a duração com o recurso de localização fica abaixo das 5 horas indicadas pelos rumores – embora a Microsoft nunca tenha falado esse número oficialmente.

Velocidade de recarga

Por fim, o veículo testou a velocidade de recarga do aparelho, que a gigante dos computadores anunciou que seria concluída em menos de 1 hora e meia. Durante a primeira recarga do aparelho, a bateria precisou de 2 horas para chegar a 100%, enquanto na segunda vez ela levou pouco mais de 1 hora e meia para ir de 30% até sua capacidade total. As recargas foram feitas usando um conversor de tomada do Lumia 920 e o cabo USB da Band.

Embora os valores permitissem chegar à conclusão de que a Microsoft se enganou com relação à velocidade de recarga da sua pulseira inteligente, relatos de usuários indicam que o aparelho consegue atingir carga completa em menos de 1 hora e meia se recarregado diretamente em um computador. Dessa forma, testes mais completos serão necessários para determinar as capacidades totais do dispositivo e de sua bateria.

Equipada com o Microsoft Health e disponível em três tamanhos, a pulseira Microsoft Band já pode ser adquirida nos Estados Unidos pelo site da fabricante, embora não existam informações sobre a disponibilidade do acessório no resto do mundo. O preço sugerido é de US$ 200, o que equivale a aproximados R$ 503 – sem contar impostos.

Cupons de desconto TecMundo: