(Fonte da imagem: Digital Trends)

Não é difícil vermos notícias sobre títulos sendo censurados ou alterados para poderem ser lançados no mercado chinês. A proibição de Battlefield 4 é apenas o episódio mais recente de uma saga um tanto quanto longa. Com um regime político bastante restritivo, o país continua bastante fechado ao que vem de fora — tanto que a venda de consoles era proibida até bem pouco tempo atrás.

Só que, mesmo com todas essas barreiras político-culturais, as empresas continuam investindo no mercado chinês e se adaptando às exigências locais. Mas por quê? A resposta é bem simples: dinheiro e o potencial que se encontra lá.

De acordo com o China Games Party, a indústria de jogos trouxe nada menos do que US$ 13 bilhões (o equivalente a R$ 30,6 bi na cotação atual) à receita do país em 2013. Segundo o comitê governamental que regulariza o mercado na região, isso representa um crescimento de 34% em relação ao que foi apresentado em 2012. E o crescimento do setor é constante, como a imagem abaixo mostra bem.

(Fonte da imagem: 17173)

A paixão dos jogadores chineses por jogos não é segredo para ninguém, sobretudo no que diz respeito aos MMOs de PC — lá a coisa é tão séria que casos de hack e sabotagem são levados para a justiça. Tanto que, de acordo com o site 17173, a plataforma foi responsável por US$ 7,7 bilhões no período.

Já os títulos para navegadores e sociais representaram cerca de US$ 2 bilhões do valor total de 2013, enquanto os games para dispositivos móveis geraram US$ 1,8 bi — aproximadamente 13,5% de toda a receita.

E os consoles?

Enquanto Sony, Microsoft e Nintendo reinam nas demais regiões do mundo, a China ainda continua "indiferente" às três grandes fabricantes. Também pudera, já que o país permitiu a venda de consoles estrangeiros apenas no começo de 2013 após uma proibição que durou 12 anos.

Porém, nem mesmo a liberação foi o suficiente para quebrar a hegemonia do PC na região. Tanto que, somadas, as três plataformas não geraram mais do que US$ 15 milhões em receita nos últimos 12 meses. A expectativa é que esse número melhore daqui para frente, principalmente com empresas fazendo parcerias para atingir o público chinês com mais eficiência.

Cultivando seu próprio jardim

Mas não é apenas o mercado global que está de olho no consumidor chinês. A própria indústria local está atenta a esse crescimento e está investindo em material desenvolvido dentro do país.

Segundo o relatório do China Games Party, os jogos produzidos lá representaram o equivalente a R$ 18,4 bilhões em 2013, o que significa um aumento de 30% em relação ao ano anterior. Com isso, é fácil imaginar o porquê de termos tantos MMOs chineses sendo lançados nos últimos meses.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: