Black Friday: Procon pede para que os consumidores cobrem seus direitos e não comprem por impulso

1 min de leitura
Imagem de: Black Friday: Procon pede para que os consumidores cobrem seus direitos e não comprem por impulso
Avatar do autor

(Fonte da imagem: Reprodução/Busca Descontos)
A Black Friday, uma tradição no mercado americano, está em sua terceira edição no Brasil e irá apresentar, até a 00h desta sexta-feira, descontos em diversos produtos. O Tecmundo já preparou uma lista com várias dicas de como aproveitar bem este dia, além de fornecer informações importantes de como não ser enganado com descontos que não são completamente verdadeiros.

Ao que tudo indica, o Procon também está acompanhando de perto os varejistas para ver se eles estão seguindo todas as determinações do Código de Defesa do Consumidor.

A fundação também está alertando que é preciso tomar cuidado com as promoções e não sair comprando por impulso — nestes casos, uma boa dica é sempre conferir o preço de um mesmo produto em outros sites, para ver se a oferta traz vantagens de verdade.

O diretor-executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes, ainda relembrou alguns pontos importantes para que os consumidores saibam cobrar seus direitos e façam compras conscientes durante o Black Friday:

  • Há um prazo de sete dias, contados a partir do dia do recebimento da mercadoria, para expressão do desejo de cancelar a compra;
  • É importante prestar atenção quanto à segurança das páginas durante as transações eletrônicas;
  • Buscar referências prévias quanto a um determinado site (para evitar dores de cabeça futuras);
  • E, caso o produto for entregue com defeito, a loja virtual tem um prazo de 30 dias para solucionar o problema.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Black Friday: Procon pede para que os consumidores cobrem seus direitos e não comprem por impulso