Da comunicação à programação: é possível mudar de carreira?

4 min de leitura
Patrocinado
Imagem de: Da comunicação à programação: é possível mudar de carreira?

Reinventar-se não é uma tarefa fácil. Pode até parecer, mas, na prática, é necessário coragem para conseguir dar um novo passo na carreira. Esse é o caso da Marta, de 37 anos, que conseguiu “dar a volta por cima” e descobrir um mundo de possibilidades em uma nova área.

Formada em Comunicação Social e com espírito inquieto, tendo atuado em diversas áreas, ela sentiu o impacto da pandemia de covid-19 quando sua rotina se transformou consideravelmente. Ela era comissária de bordo e viu a empresa em que trabalhava entrar em falência.

smart people are cooler

Tecnologia, negócios e comportamento sob um olhar crítico.

Assine já o The BRIEF, a newsletter diária que te deixa por dentro de tudo

“Voltar ao mercado da aviação naquele cenário parecia impossível”, revela Marta. Foi quando ela se lembrou de uma amiga que estava fazendo um curso na área de programação e começou a pesquisar mais sobre o assunto.

“Fiz alguns cursos gratuitos para quem estava começando do zero para ver se era algo que eu ia gostar”, conta Marta, que estava tentando descobrir se valia a pena investir tempo e dinheiro para mudar de carreira novamente.

“Aos poucos, fui entendendo do que se tratava a programação e tomei gosto por ela. Saber que as oportunidades no mercado de trabalho eram abundantes também ajudou bastante”, ela completa.

kenzieApós ter uma base mínima, Marta procurou escolas que oferecessem uma formação sólida e encontrou a Kenzie. (Fonte: acervo pessoal)

Porém, a jornada profissional dela nesse campo só se fortaleceu quando ela ingressou na Kenzie, uma escola de tecnologia que tem como objetivo principal ensinar programação do zero.

Kenzie: um formato que se encaixou na vida da Marta

Em linhas gerais, o que mais atraiu Marta com relação à Kenzie foi a abordagem dos cursos. “Decidi pela Kenzie principalmente pelo formato de simular um ambiente de trabalho, ou seja, apesar de o curso ser online, eu tinha que estar presente todos os dias no mesmo horário, tinha entregas e prazos, rituais diários etc.”, contou ela, que foi atraída pelo fato de as aulas serem ao vivo diariamente.

Segundo Marta, a falta de disciplina com relação a cursos online faz parte da sua personalidade, então o formato oferecido pela Kenzie a ajudou a se manter ativa nos estudos.

Ela comenta que o começo foi desafiador, especialmente por ter-se considerado “uma pessoa de Humanas” por toda sua vida, mas as coisas começaram a fluir e o caminho foi ficando mais fácil e leve.

De fato, na Kenzie, há a possibilidade de se desenvolver plenamente no ramo da Programação e em soft skills, pois a escola conta com um módulo dedicado a elas e à empregabilidade, com a vantagem de o pagamento das mensalidades iniciar apenas depois da formação.

kenzieDos estudantes que passaram pelos cursos da Kenzie, 98% já conseguiram se posicionar no mercado de trabalho. (Fonte: Freepik/Reprodução)

Todas as aulas acontecem virtualmente, mas existem horários específicos para cada uma delas, sobretudo porque há transmissão em tempo real para os estudantes das 8h às 15h, diariamente. É preciso se dedicar para acompanhar as explicações e tirar dúvidas com os professores, e foi justamente isso que atraiu Marta.

Além disso, a plataforma conta com um time especializado em suporte, cujos integrantes estão sempre à disposição para resolver problemas e apresentar soluções práticas no dia a dia.

Como faço para me matricular na Kenzie e mudar de vida como a Marta?

Se você ficou interessado no curso da Kenzie, que tal se dar uma chance de transformar sua vida? Afinal, a Marta conta que, mais ou menos após 9 meses de curso, ela se inscreveu em um processo seletivo e conseguiu o primeiro emprego como engenheira de software no Nubank, podendo aplicar a base de lógica de programação que aprendeu na Kenzie.

No processo do banco, ela precisou realizar um teste no HackerRank e foi assim que conseguiu entrar na empresa. “Antes de entrar na Kenzie eu tinha zero experiência com programação, então foi muito gratificante perceber que eles me ensinaram todas as ferramentas necessárias para conseguir não só realizar o teste, mas passar nele”, ela comemora.

“Acompanhar outras mulheres que tinham passado por essa transição de carreira também me ajudou muito, principalmente a acreditar que o mercado de tecnologia tinha espaço para uma mulher que já passou dos 30 começando uma nova profissão”, conclui Marta.

Se você também tem essa vontade, é interessante saber que a Kenzie oferece diferentes métodos de pagamento: o financiamento estudantil ISA, em que as parcelas do curso começam a ser cobradas apenas depois da formação, o pagamento à vista e o parcelado desde o início do curso.

O ISA permite que você faça o curso por 12 meses sem pagar, até ter a sua formação e receber um salário mínimo mensal de R$ 3 mil. Nessa modalidade, você paga 17% da sua remuneração mensalmente, mas só a partir de quando estiver recebendo o valor mínimo.

O pagamento acontece por 60 meses depois do fim do curso ou até atingir R$ 44 mil. Além disso, se o estudante quiser ser monitor durante o curso, ele pode ganhar uma bolsa a partir de R$ 480 por mês.

kenzieA Kenzie mantém o compromisso de auxiliar os estudantes na inserção ao mercado de trabalho. (Fonte: Freepik/Reprodução)

Um dos maiores objetivos da Kenzie é garantir que qualquer estudante tenha a base necessária para conseguir uma colocação rápida no mercado de trabalho. Assim, a edtech conta com a parceria de mais de 200 empresas que têm interesse em contratar seus alunos, além de oferecer suporte para testes e entrevistas.

Com a ajuda do time da Kenzie, a comunidade de estudantes desenvolve tanto as habilidades técnicas (hard skills) quanto as de comportamento interpessoal (soft skills). Para completar, o último módulo de ensino é totalmente dedicado para a trilha de empregabilidade, e a Kenzie auxilia cada estudante individualmente, indicando vagas e dando todo suporte necessário.

Gostou do conteúdo? Então não deixe de se matricular agora mesmo na Kenzie!

smart people are cooler

Tecnologia, negócios e comportamento sob um olhar crítico.

Assine já o The BRIEF, a newsletter diária que te deixa por dentro de tudo

Fontes

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.