Nikola paga R$ 718 milhões para encerrar investigação de fraude

1 min de leitura
Imagem de: Nikola paga R$ 718 milhões para encerrar investigação de fraude
Imagem: Nikola
Avatar do autor

A montadora de veículos elétricos e a hidrogênio Nikola Corp. pagou uma multa civil de US$ 125 milhões (R$ 718 milhões) para encerrar uma investigação que apurava fraudes a investidores através de informações enganosas sobre seus produtos e projetos. A informação foi divulgada pela SEC, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA na terça-feira (21).

A acusação de violação da lei de valores mobiliários foi iniciada pela agência reguladora após uma série de declarações consideradas enganosas serem divulgadas pelo fundador da startup, Trevor Milton, sobre as perspectivas futuras da empresa norte-americana e lançamento de produtos. Posteriormente, Milton foi afastado do cargo de CEO e preso no início do ano sob alegação de divulgar notícias falsas sobre o lançamento iminente de um veículo funcional da Nikola.

“Temos o prazer de encerrar este capítulo, pois a empresa já resolveu todas as investigações do governo”, afirmou a empresa em um comunicado à imprensa. O valor da multa será pago em cinco parcelas vencíveis em dois anos, com a primeira devendo ser paga ainda neste ano. A Nikola também anunciou que fez a entrega de seus dois primeiros caminhões para operadoras de portos em Los Angeles e Long Beach.

E o que acontece com Trevor Milton?

Fonte: Miljøstiftelsen ZERO/Wikimedia Commons/Reprodução.Fonte: Miljøstiftelsen ZERO/Wikimedia Commons/Reprodução.Fonte:  Miljøstiftelsen ZERO/Wikimedia Commons 

Diferentemente do que ocorreu com o caso da empresa, a ação contra seu fundador Trevor Milton continua. São duas acusações diferentes: uma feita pela SEC por supostas violações do Securities Act (que regulamenta o comércio entre indivíduos e empresas), e outra, de cunho criminal, formalizada pelo Procurador-Geral dos EUA, pelos dois casos de fraude em valores mobiliários e também uma acusação de fraude eletrônica.

A estratégia adotada pela defesa de Milton parece ser “partir para o ataque”. De acordo com a Bloomberg, o ex-CEO está pedindo ao juiz do caso que rejeite todas as acusações contra ele, alegando desconhecer o fato de que suas declarações, feitas principalmente na mídia e nas redes sociais, poderiam ser criminosas ou influenciar a venda das ações da companhia.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.