Bitcoin está concentrado nas mãos de poucas pessoas, diz estudo

1 min de leitura
Imagem de: Bitcoin está concentrado nas mãos de poucas pessoas, diz estudo
Imagem: André François McKenzie/Unsplash/Reprodução
Avatar do autor

Apesar da popularidade do Bitcoin, um terço da criptomoeda em circulação é controlada por apenas 10 mil investidores individuais. Esse dado foi revelado em um estudo do National Bureau of Economic Research (NBER).

Entretanto, é difícil determinar nas mãos de quais pessoas está essa grande concentração de ativos. Isso porque os maiores endereços não representam indivíduos, mas bolsas e instituições que detêm a moeda digital em nome de outros investidores.

Parte dos endereços do Bitcoin podem pertencer ao mesmo grupo de investidores.Parte dos endereços do Bitcoin podem pertencer ao mesmo grupo de investidores.Fonte:  Aleksi Raisa/Unsplash/Reprodução 

Usando um método de coleta de dados que diferenciava endereços de intermediários e de indivíduos, o NBER encontrou um grupo que controlava 5,5 milhões de Bitcoin em 2020. Este ano, o número foi atualizado para cerca de 8,5 milhões de criptomoedas.

Para mais, os mil principais investidores individuais controlam cerca de 3 milhões de Bitcoin. Conforme o estudo, a concentração da moeda digital pode ser ainda maior.

“Essa medida de acúmulo provavelmente é um eufemismo, pois não podemos descartar que alguns dos maiores endereços são controlados pela mesma instituição”, revelam os pesquisadores à Bloomberg.

Variação do preço da criptomoeda mexem com a possibilidade de um ataque à rede Bitcoin.Variação do preço da criptomoeda mexem com a possibilidade de um ataque à rede Bitcoin.Fonte:  Executium/Unsplash/Reprodução 

Os perigos da concentração de Bitcoin

A centralização da mineração de Bitcoin é ainda mais profunda. Segundo o NBER, os 10% dos principais mineradores controlam 90% da capacidade de mineração, e apenas 0,1% (cerca de 50 mineradores) controlam 50% da capacidade total.

Com isso, o alto acúmulo de ativos torna a rede vulnerável a 51% de chances de ataques. Por exemplo, um único usuário poderia assumir o controle da maior parte das operações de mineração de criptomoedas.

“Esse ecossistema ainda é dominado por grandes players, sejam mineradores, donos de criptomoedas ou bolsas. Isso torna a moeda suscetível ao risco sistêmico e implica que a maioria dos ganhos com a adoção futura caíra desproporcionalmente para um pequeno conjunto de participantes”, explicam os pesquisadores.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.