Huawei recebe autorização dos EUA para comprar chips automotivos

1 min de leitura
Imagem de: Huawei recebe autorização dos EUA para comprar chips automotivos
Imagem: Melty/Reprodução
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A Huawei poderá comprar chips automotivos de empresas dos Estados Unidos, de acordo com informação divulgada nesta quarta-feira (25) pela agência Reuters. As autoridades americanas concederam licenças no valor de centenas de milhões de dólares permitindo à companhia chinesa a aquisição de semicondutores para telas e sensores de carros.

Contudo, as restrições comerciais para a compra de processadores utilizados em serviços de telecomunicações, impostas pela gestão Trump e continuadas pelo governo Biden seguem vigentes. Os EUA temem que as exportações de chips para uso em dispositivos 5G possam prejudicar sua segurança interna e seus interesses comerciais no mundo.

Com isso, a Huawei recuou de sua posição dominante no mercado de smartphones e buscou novas áreas de crescimento. Os chips automotivos não são considerados sofisticados, facilitando a aprovação das vendas para a companhia chinesa.

Lista de desafetos

Após ser incluído na lista dos rejeitados pelo comércio dos EUA, Huawei passou a investir no segmento de carros elétricos. (Fonte: Huawei/Reprodução)Após ser incluída na lista dos rejeitados pelo comércio dos EUA, Huawei passou a investir no segmento de carros elétricos. (Fonte: Huawei/Reprodução)Fonte:  Huawei/Reprodução 

Em 2019, a Huawei foi colocada em uma lista de desafetos do Departamento de Comércio dos EUA, que proibiu as vendas de produtos e tecnologia dos EUA para a empresa sem licenças especiais. No ano passado, as autoridades americanas aumentaram o nível de restrições e passaram a limitar a venda de chips feitos no exterior com equipamentos estadunidenses.

Para conseguir sobreviver no mercado, a Huawei vendeu parte de seu negócio de fabricação de aparelhos, em que era dominante, enquanto passou a investir em novas áreas de crescimento que ainda não estavam totalmente amadurecidas, como o setor de automóveis. O resultado da companhia foi atingido por essa estratégia e registrou a maior queda de receita de sua história no primeiro semestre de 2021.

A busca para limitar o crescimento da Huawei no setor de telecomunicações envolve também uma pressão para que outros países não estabeleçam negócios com a empresa chinesa. Recentemente, o governo dos Estados Unidos admitiu a pressão sobre autoridades brasileiras para evitar a participação da Huawei no leilão do 5G.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.

Fontes