Fibra ótica: cabo submarino que liga Brasil e Europa é inaugurado hoje (1°)

1 min de leitura
Imagem de: Fibra ótica: cabo submarino que liga Brasil e Europa é inaugurado hoje (1°)
Imagem: NASA via Unsplash/Divulgação
Avatar do autor

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações divulgou, nesta terça-feira (1°), a cerimônia de inauguração da estrutura de fibra ótica que conecta o Brasil e a Europa. O evento, chamado Leading The Digital Decade 2021, contou com a presença de autoridades brasileiras, como do ministro Marcos Pontes, e estrangeiras.

Com isso, a comunicação entre os dois territórios, que já conta com alguns cabos submarinos, será facilitada. Algumas vantagens da decisão foram citadas pelo Ministério das Comunicações na última quarta-feira (26) em um comunicado publicado no portal do governo.

Entre elas, estão mais acesso a serviços bancários online, suporte para a tecnologia 5G, oportunidades de investimentos, compartilhamento de pesquisas científicas de ponta, mais qualidade nos serviços de streaming e jogos online.

Ativação da fibra ótica

a  Thomas Jensen via Unsplash/Reprodução 

Em dezembro de 2020, foi instalado um cabo de fibra ótica submarino na Praia do Futuro, em Fortaleza (CE). Na Europa, a estrutura foi aterrada numa estação em Sines, cidade localizada a 120 km da capital portuguesa. Desde então, foram implementados testes para que as operações tivessem início em junho.

Segundo a previsão do governo brasileiro, após a ativação da fibra, a conexão será ampliada para estações no Rio de Janeiro, São Paulo, ilhas do Atlântico, Guiana Francesa, Argentina, Chile, América do Sul e até mesmo África.

Mais velocidade

Alguns dos benefícios da fibra ótica que ligará Brasil e Europa.Alguns dos benefícios da fibra ótica que ligará Brasil e Europa.Fonte:  Ministério da Comunicação/Reprodução 

Sem dúvidas, essa tecnologia oferece uma série de vantagens. No entanto, a maior delas certamente é a alta velocidade na transmissão de dados, que trafegarão pelos 6,2 mil km do cabo que atravessa o oceano a 100 Tbps.

Além disso, a estrutura proporcionará uma conexão com latência de 60 milissegundos. De acordo com o secretário de Telecomunicações do Ministério de Comunicação, Artur Coimbra, diversos setores serão favorecidos com a baixa latência. "Essa conexão vai melhorar a qualidade das aplicações corporativas, cooperação científica entre os países, videoconferências e outros serviços online", ressalta o secretário.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.