PIX: bancos não poderão mais impor limites de transações

1 min de leitura
Imagem de: PIX: bancos não poderão mais impor limites de transações
Imagem: Banco Central
Avatar do autor

O Banco Central confirmou nesta quinta-feira (18) algumas alterações e a chegada de novas funções do Pix, o sistema de pagamentos digitais instantâneos que estreou no Brasil em novembro de 2020.

As instituições financeiras agora estão proibidas de "fixar limites para o número de transações Pix", tanto para envio quanto no caso de recebimentos. Já o Pix Cobrança, conforme uma notícia divulgada no início desta semana, segue adiado.

Além disso, o BC também formalizou a possibilidade de integrar os aplicativos de instituições financeiras que fornecem o Pix com a agenda de contatos dos usuários. Dessa forma, é possível agilizar transferências para quem você já conhece ou possui adicionado na lista de contatos do telefone — isso caso ela tenha cadastrado o número como a chave do Pix.

Uma das possibilidades de uso do Pix é via leitura de QR Code.Uma das possibilidades de uso do Pix é via leitura de QR Code.Fonte:  Banco Central 

Cada plataforma terá que desenvolver a própria solução para unir as bases de dados, e alguns bancos inclusive já possuíam alguma forma de fazer essa integração.

Além disso, o Banco Central anunciou que mudanças de nome não terão mais como consequência o fim de uma chave cadastrada. Em outras palavras, empresas que mudarem de nome, pessoas recém-casadas ou com nome social podem simplesmente pedir a alteração cadastral sem alterar o código.

As novidades foram aprovadas pela Diretoria Colegiada da instituição e estão listadas na Resolução BCB nº79, que pode ser conferida no site do Banco Central.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.
PIX: bancos não poderão mais impor limites de transações