15 coisas que você não sabe sobre o Google Brasil

9 min de leitura
Imagem de: 15 coisas que você não sabe sobre o Google Brasil
Avatar do autor

Equipe TecMundo

@tec_mundo

Nesta semana, o Google completa 15 anos de atuação no Brasil. O início da operação brasileira, em 2005, foi marcado pela compra de uma startup mineira, sediada em Belo Horizonte, onde a empresa tem, até hoje, seu único Centro de Engenharia para soluções e inovações tecnológicas da América Latina.

Desde então, o Google Brasil inaugurou uma série facilidades para sua atuação, entre elas, um escritório de negócios, um Google for Startups Campus e um Google Partner Plex, todos em São Paulo, além do YouTube Space no Rio de Janeiro (depois dos EUA, o Brasil foi o primeiro país a ter todas essas instalações).

Talvez você não saiba, mas nesses 15 anos o Google Brasil...

1) Ajudou no combate à violência contra a mulher

Em novembro de 2019, em parceria entre a organização Think Olga e Nossas.org, com o apoio do Google, da ONU Mulheres e do Facebook, passou a disponibilizar ferramentas através da Isa. bot, junto ao Google Assistente, para ajudar mulheres que estejam vivendo situações de violência na internet e oferecer informações para conscientização sobre segurança on-line. Recentemente, a bot foi atualizada para também disponibilizar orientações sobre o que fazer, onde e como buscar ajuda em casos de violência doméstica. Para acessar a função, basta dizer “Ok Google. Falar com Robô Isa.”

2) Montou o seu primeiro centro de engenharia na América Latina, em Belo Horizonte

O Centro de Engenharia foi o primeiro investimento do Google no Brasil, a partir da aquisição da Akwan Information Technologies, startup fundada em 2000 por um grupo de professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Sediado na capital mineira, o escritório é, até hoje, o único centro de engenharia do Google em toda a América Latina. Em 2016, o escritório foi expandido e reinagurado, e emprega mais de 160 engenheiros dedicados ao desenvolvimento de novas soluções e aprimoramento de produtos globais, como a Pesquisa e o Assistente do Google.

3) Mapeou centenas de cidades em todo o país, com o Google Maps e o Street View

O Google Maps foi lançado no Brasil em 2007 e, três anos depois, em 2010, chegou ao país a ferramenta Street View, primeiro nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Com o avanço das tecnologias, em 2016, o Maps passou mostrar linhas de ônibus em tempo real e rotas de

bicicleta em diversas cidades brasileiras. Já em 2017, o país foi o primeiro a receber o recurso “Compartilhamento de localização em tempo real”. Atualmente, o Brasil está entre os 5 primeiros países em utilização do Google Maps e do Street View em todo o mundo.

4) Ajudou a transformar a Black Friday em uma das datas mais importantes para o comércio brasileiro

O Google Brasil trabalha próximo de varejistas e agências durante a Black Friday. Desde 2015, a companhia conta com um time multidisciplinar (incluindo engenheiros) dedicado a apoiar anunciantes em seus resultados neste momento cada vez mais importante para o varejo brasileiro. O principal diferencial do Google Brasil para a Black Friday é a chamada War Room: durante 24 horas, profissionais trabalham lado a lado da equipe de marketing de varejistas para criar soluções de negócios usando informações e dados gerados em tempo real, como os dashboards de Acompanhamento de Tendências de Buscas, que as grandes empresas do varejo utilizam para acompanhar hora a hora o termômetro do consumidor na Black Friday. Em 2018, a War Room se estendeu para as pequenas e médias empresas e, desde então, tem ganhado cada vez mais adesão dos brasileiros.

5) Movimentou R$ 51 bilhões em atividade econômica somente no último ano

Segundo o último relatório de impacto econômico do Google, em 2019, as ferramentas de Busca e publicidade da empresa, o Google Play e o YouTube ajudaram a movimentar R$ 51 bilhões em atividade econômica para mais de 188 mil empresas, publishers e organizações sem fins lucrativos, criadores e desenvolvedores de todo o Brasil. O relatório é o terceiro a ser divulgado pela empresa no país. Neste ano, o Google contabilizou, pela primeira vez, o valor total das remunerações feitas aos criadores do YouTube e aos desenvolvedores que disponibilizam seus aplicativos no Google Play, loja virtual de apps.

YouTube

6) Com o YouTube, popularizou o acesso ao aprendizado, de pequenos reparos domésticos à educação financeira

Em 2007, o Google lançou no Brasil a versão em português do YouTube. Era apenas o começo de uma história que mudou completamente a forma como os brasileiros consomem conteúdo. Além de centenas de virais e tendências, o sucesso da plataforma também se consolidou quando o assunto é aprendizado. Nove entre 10 pessoas que acessam o YouTube no Brasil afirmam buscar conhecimento, seja para desenvolver habilidades profissionais, aprender pequenos consertos para casa ou conferir dicas de esporte. E, assim, o YouTube cresceu por aqui: hoje são mais de 105 milhões de usuários por mês conectados à plataforma, que também se tornou um negócio saudável. No Brasil, mais de 1.000 canais no YouTube possuem número superior a 1 milhão de inscritos, o que demonstra a força do ecossistema de empresas de mídia que se desenvolveu no país.

7) Criou diversas campanhas em prol da comunidade LGBTQIA+

Para disseminar as vozes da diversidade e compreensão, o YouTube reuniu em 2017 a comunidade LGBTQIA+ com a campanha #OrgulhodeSer. A missão é dar mais voz à comunidade e colocá-la em evidência por meio de uma mobilização de YouTubers de todo o Brasil e América Latina. Também naquele ano, teve início o projeto #ParadaAoVivo, no qual diversos criadores LGBTQIA+ passaram a transmitir e comentar a Parada do Orgulho em São Paulo. Em 2020, com a pandemia do COVID-19, o Google.org anunciou o apoio a organizações dedicadas a melhorar a vida das pessoas LGBTQIA+ em todo o mundo. No Brasil em especial, a empresa escolheu o projeto TRANSformAção, que oferece, gratuitamente, um programa de treinamento on-line para pessoas transgêneras com o objetivo de qualificá-las para o mercado de trabalho.

8) Já treinou mais de 15 mil jornalistas brasileiros com a Google News Initiative

A Google News Initiative (GNI), que reúne esforços do Google em contribuir para o fortalecimento do jornalismo na era digital, vem apoiando diversas redações no Brasil, pequenas, médias ou grandes. Com esse foco, já treinamos mais de 18 mil jornalistas brasileiros desde 2017, e investimos mais de R$ 46 milhões em programas, parcerias e produtos no Brasil desde 2018.

9) Mapeou e digitalizou mais de 260 exposições de museus brasileiros

Por meio da plataforma Google Arts & Culture, pessoas de todo o mundo podem explorar algumas das coleções de arte brasileiras mais emblemáticas e fazer passeios virtuais por pontos de referência nacionais. Ao todo, são mais de 260 exposições on-line de 60 parceiros no Brasil. Em 2017, as coleções de cinco museus gerenciados pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) foram adicionadas ao acervo do Google Arts & Culture. Ao todo, são mais de 1.300 obras de arte e 18 exposições virtuais entre o acervo digitalizado do Museu Lasar Segall, Museu Histórico Nacional, Museus Castro Maya, Museu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial. Entre outros museus brasileiros disponíveis na plataforma estão Masp, Inhotim, Museu Imperial, e o Museu Oscar Niemeyer. Confira a lista completa aqui.

10) Treinou mais de 100.000 pessoas presencialmente com o Cresça com o Google

O Cresça com o Google nasceu em 2017 com o objetivo de apoiar milhões de pessoas ao redor do mundo no desenvolvimento e aprimoramento de habilidades, carreiras e negócios. Desde então, no Brasil, mais de 100 mil pessoas já foram treinadas presencial e gratuitamente em 13 capitais brasileiras, como João Pessoa e Natal. Além disso, em razão da pandemia de COVID-19, em maio de 2020 teve início o projeto on-line Mentoria Cresça com o Google. Por meio dele, milhares de pequenos empreendedores já tiveram a oportunidade de tirar dúvidas e receber orientação individual de especialistas nas principais áreas da rotina de uma empresa que foram impactadas pela pandemia.

Cresça com Google

11) Criou o Plus Codes, para ajudar moradores de áreas rurais em São Paulo

Atualmente, só no estado de São Paulo, mais de dois milhões de habitantes de zonas rurais não têm endereço oficial, enfrentam dificuldades para serem localizados, por exemplo, pelos Correios . De acordo com o governo estadual, São Paulo tem 340 mil propriedades rurais sem endereço, e mais de 60 mil estradas e ruas não-mapeadas nessas regiões. Para enfrentar o problema, o Google e o Governo do Estado de São Paulo anunciaram, em 2019, uma parceria para usar a tecnologia Plus Codes, com endereços digitais simples, fáceis de usar e baseados em coordenadas de latitude e longitude. Com um Plus Code é possível encontrar qualquer lugar – de uma casa em uma zona rural distante a um pequeno comércio instalado numa rua sem nome cadastrado.

12) Apoiou financeiramente mais de 380 veículos locais de imprensa em meio à pandemia

A pandemia de COVID-19 causou uma reviravolta na indústria de meios de comunicação em todo o mundo – e o Brasil não é exceção. Para apoiar o setor durante esse período difícil, a Google News Initiative também lançou, em abril, o Fundo de Auxílio Emergencial ao Jornalismo para apoiar veículos locais. Ao todo, foram mais de 380 pequenas e médias redações jornalísticas só no Brasil, que receberam recursos entre US$ 5 mil e US$ 30 mil cada. Além do Fundo, a GNI isentou grandes redações de pagar pelo uso da plataforma de anúncios Ad Manager. Juntas, as duas iniciativas representaram mais de R$ 22 milhões em apoio ao setor no Brasil.

13) Popularizou as lives por meio do YouTube

As lives no YouTube já eram muito populares em games e esportes, com a exibição de jogos em tempo real. Durante a pandemia, as transmissões ao vivo na plataforma têm sido uma oportunidade de levar entretenimento para quem está em casa e também gerar receita para artistas e criadores. Também foi quando os artistas de música “descobriram” esse recurso para se conectarem com seu público e com novas audiências. Marília Mendonça, Gusttavo Lima e Jorge & Mateus são alguns dos que experimentaram o formato, alcançando uma plateia de milhões de brasileiros. No dia 8/07, outra transmissão mostrou que as lives estão aí para ficar: a Flu TV registrou o pico de 3,6 milhões de visualizações simultâneas durante a final da Taça Rio, com o clássico Fla-Flu.

14) Fez parte do crescimento do mercado de desenvolvedores de aplicativos brasileiros

O Brasil é um dos principais países em número de desenvolvedores registrados na loja de aplicativos do Google. O número de apps criados por desenvolvedores brasileiros com mais de 1 milhão de usuários cresceu quase 50% de maio de 2019 para maio de 2020.

15) Apoiou o desenvolvimento estratégico e tecnológico de 240 startups no Brasil

Até hoje, o Google for Startups Campus, com sede em São Paulo, já incubou e apoiou 232 startups brasileiras e 8 de outros países da América Latina. Desde o início de sua atuação, 4 anos atrás, os programas de longa duração têm recebido diversas turmas de startups em diferentes estágios da jornada empreendedora, como Gupy, IDwall, Cuponeria e até mesmo alguns unicórnios como Nubank, Quinto Andar e Loggi.

News de tecnologia e negócios Deixei seu email aqui, e welcome to the Jungle.
15 coisas que você não sabe sobre o Google Brasil