Fintechs suspendem serviços no Reino Unido após falência da Wirecard

1 min de leitura
Imagem de: Fintechs suspendem serviços no Reino Unido após falência da Wirecard
Imagem: Suno Research
Avatar do autor

Nesta quinta-feira (25), a empresa alemã de pagamentos Wirecard sofreu restrições do Reino Unido devido a uma dívida de quase 4 bilhões de dólares que causou sua falência. Com isso, fintechs que dependiam dos serviços da empresa tiveram que suspender seus serviços temporariamente.

Isso fez com que clientes de inúmeras empresas financeiras digitais não conseguissem acessar suas contas nesta sexta-feira (26). A Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA), órgão responsável pelas restrições da unidade Wirecard no país, garantiu que o dinheiro dos clientes não corre riscos devido à falência da alemã.

"A Wirecard está sob a exigência dos Regulamentos sobre Dinheiro Eletrônico para manter as medidas apropriadas para proteger o dinheiro dos clientes", esclareceu a FCA.

Markus Braun, presidente da Wirecard, que chegou a ser preso por fraude contábil e foi liberado sob a fiança de R$ 29 milhões.Markus Braun, presidente da Wirecard, que chegou a ser preso por fraude contábil e foi liberado sob a fiança de R$ 29 milhões.Fonte:  Michael Dalder/Reuters 

Desafio para as empresas digitais

O emissor de cartões Curve foi um dos inúmeros nomes afetados pelo colapso da alemã. Ao detectar a interrupção temporária dos serviços, a companhia recomendou que seus clientes utilizassem pagamento alternativos.

A empresa Pockit, por sua vez, afirmou que as contas ficariam inacessíveis por um curto período e que está trabalhando com a FCA para encontrar uma solução.

Sobre a situação, a chefe de pesquisa de consultoria fintech 11:FS , Sarah Kocianski, afirmou que os efeitos da falência da Wirecard serão um grande teste para as empresas digitais, que frequentemente dependem dos serviços de back-end fornecidos por empresas maiores.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Fintechs suspendem serviços no Reino Unido após falência da Wirecard