Apple cria fundo de US$ 100 milhões para lutar contra o racismo

1 min de leitura
Imagem de: Apple cria fundo de US$ 100 milhões para lutar contra o racismo
Imagem: Mike Deerkoski/Flickr
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

O CEO da Apple, Tim Cook, anunciou nesta quinta-feira (11) um novo projeto social da empresa. Trata-se da Iniciativa de Equidade e Justiça Racial, uma resposta aos protestos que acontecem há vários dias principalmente nos Estados Unidos, motivados pelo assassinato de George Floyd durante uma abordagem policial.

O fundo de US$ 100 milhões vai focar em temas como educação, igualdade econômica e reformas da justiça criminal. Vários dos projetos já existentes serão reforçados, enquanto outros serão criados em comunidades específicas.

"A iniciativa vai desafiar as barreiras do sistema para oportunidade e dignidade que existem para comunidades de outras etnias e, particularmente, para a comunidade negra", afirmou Cook em um vídeo oficial publicado em seu perfil no Twitter. Inicialmente, a verba será destinada aos Estados Unidos, mas com a previsão de expansão global.

Parceiros da cadeia de produção que são de comunidades negras serão mais valorizados e a representação nas companhias aliadas será impulsionada em termos de diversidade e inclusão.

Mais detalhes devem ser revelados pela empresa durante a WWDC 2020, conferência anual da marca para desenvolvedores e fãs. Por causa da pandemia do novo coronavírus, o evento será totalmente online, iniciando em 22 de junho.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Apple cria fundo de US$ 100 milhões para lutar contra o racismo