Bitcoin volta a bater US$ 10 mil após forte desvalorização

1 min de leitura
Imagem de: Bitcoin volta a bater US$ 10 mil após forte desvalorização
Imagem: Pixabay/Reprodução
Avatar do autor

A Bitcoin parece ter superado as dificuldades da pandemia do coronavírus e pode se recuperar antes mesmo do mercado de ações. Nesta semana, o valor da criptomoeda ultrapassou US$ 10 mil após um período em baixa nos últimos meses.

Na segunda-feira (1º), o seu preço chegou a US$ 10.180 como registrou o site financeiro CoinMarketCap. Na tarde desta quarta-feira (3), o valor era de US$ 9.620. Ainda assim, a recente marca é vista com bons olhos pelos especialistas.

Variação do valor do Bitcoin nos últimos dias.Variação do valor do Bitcoin nos últimos dias.Fonte:  CoinMarketCap 

Conforme destaca a página norte-americana Mashable, o valor da Bitcoin estava sendo negociado acima dos US$ 10 mil no meio de fevereiro de 2020. Contudo, a pandemia do coronavírus afetou gravemente o mercado de ações e das criptomoedas.

No meio de março, por exemplo, o valor esteve em cerca de US$ 4 mil. Ou seja, houve uma queda bastante significativa em menos de um mês. Para uma rápida comparação, a moeda digital atingiu seu maior pico ao chegar a US$ 19 mil em dezembro de 2017.

Por isso, a recente marca impressiona os analistas. Para eles, a criptomoeda já superou os efeitos da pandemia em relação ao seu valor. Ao mesmo tempo, isso indica que ela vai conseguir se recuperar tão rapidamente quanto o mercado de ações.

Especialistas acreditam que o Bitcoin já superou as dificuldades da pandemia.Especialistas acreditam que o Bitcoin já superou as dificuldades da pandemia.Fonte:  Pixabay/Reprodução 

Possíveis motivos para o aumento da Bitcoin

É difícil entender a causa para este aumento repentino. Alguns dos motivos podem ser os recentes protestos contra o racismo, a brutalidade policial nos EUA e os trilhões de dólares que foram injetados pelo banco central americano.

A página também enxerga que os relatórios sobre o interesse de investidores institucionais podem ter influenciado a cotação. No caso, eles estariam acumulando valores de Bitcoin.

Isso pode ser interpretado como uma notícia positiva para os investidores da criptomoeda. Lembrando que ela possui uma taxa de inflação previsível, além de não ter interferência de governos.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Bitcoin volta a bater US$ 10 mil após forte desvalorização