Google e Facebook podem ajudar EUA a combater o coronavírus

1 min de leitura
Imagem de: Google e Facebook podem ajudar EUA a combater o coronavírus
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

O Facebook e a Google podem fornecer dados de localização de celulares dos usuários para ajudar no combate à pandemia do Coronavírus nos Estados Unidos. De acordo com o The Washington Post,  há uma negociação entre as empresas e o governo americano neste sentido.

A ideia é utilizar as informações de geolocalização colhidas dos telefones dos americanos pelas duas plataformas para monitorar as pessoas, verificando se elas estão seguindo as recomendações de manter distância segura umas das outras e mapear a propagação da infecção.

O porta-voz da Google, Johnny Luu, afirmou que a gigante de Mountain View está pensando em desenvolver maneiras de usar dados de localização anônimos agregados para auxiliar as autoridades de saúde a conter o avanço da Covid-19, de forma semelhante ao que é feito em relação às informações do trânsito no Google Maps. No entanto, ele não confirmou o contato com o governo.

A coleta dos dados de localização seria anônima.A coleta dos dados de localização seria anônima.Fonte:  Pixabay 

Já o Facebook não confirmou e nem negou que esteja envolvido neste projeto, enquanto a Casa Branca disse estar procurando alternativas para usar a tecnologia como aliada no combate ao Coronavírus, que já tem mais de 7.500 casos confirmados no país e mais de 100 mortes.

Força-tarefa

Na corrida para tentar frear o avanço da Covid-19, uma força-tarefa foi criada por executivos da área de tecnologia, investidores e empreendedores, que já apresentaram uma série de ideias ao governo americano, segundo o The Washington Post.

Além das já citadas Google e Facebook, também estariam envolvidos no projeto a Apple, o investidor do Vale do Silício Ron Conway, a Universidade de Harvard, investidores liderados pela empresa Hangar e outras companhias menores do segmento de telessaúde.

Entre as propostas citadas, estariam o já comentado uso dos dados de localização dos smartphones e a criação de uma ferramenta que permitiria descobrir se o usuário esteve com pessoas contaminadas, agilizando o processo de entrada em quarentena, se for o caso.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Google e Facebook podem ajudar EUA a combater o coronavírus