Coronavírus: Amazon vai focar em vendas de itens essenciais

1 min de leitura
Imagem de: Coronavírus: Amazon vai focar em vendas de itens essenciais
Fonte: GeekWire
Avatar do autor

A Amazon emitiu um comunicado informando que, diante da pandemia do novo Coronavírus, seus armazéns somente vão aceitar remessas de suprimentos médicos e outros itens essenciais.

Em um e-mail para vendedores associados, a empresa declarou que só irá estocar “artigos básicos, suprimentos médicos e outros produtos de alta demanda” pelo menos até 5 de abril, como informa o site Business Insider.

Essa decisão vai se aplicar tanto aos vendedores terceirizados quanto aos atacadistas que fornecem à Amazon produtos de marcas independentes. “Estamos notando um aumento nas compras online e, como resultado, alguns produtos, como artigos básicos e suprimentos médicos, estão fora de estoque.”, dizia o e-mail.

"Com isso em mente, estamos priorizando temporariamente produtos básicos, suprimentos médicos e outros produtos de alta demanda que entram em nossos centros de atendimento, para que possamos receber mais rapidamente, reabastecer e entregar esses produtos aos clientes", explicou a Amazon no comunicado.

(Fonte: The Daily Beast/Reprodução)(Fonte: The Daily Beast/Reprodução)Fonte:  The Daily Beast 

Em um esclarecimento posterior, a empresa listou as categorias que vão ser contempladas por essa determinação: itens de saúde e beleza, itens para bebês, produtos científicos, suprimentos de mercearia no geral e suprimentos para animais de estimação. "Para outros produtos, desativamos temporariamente a criação de remessas", afirmou a empresa.

Amazon quer contratar 100 mil funcionários

Apesar dessa restrição em relação aos seus estoques, a Amazon pretende contratar 100 mil novos funcionários. Devido à pandemia do Covid-19, diversos governos estão recomendando que os cidadãos permaneçam em suas casas. Por consequência, o número de compras online está crescendo.

A intenção é aumentar o corpo de trabalho para dar conta da alta demanda. Além disso, segundo o Wall Street Journal, a Amazon também decidiu que os funcionários dos Estados Unidos e do Canadá vão receber mais US$ 2 por hora até abril.

Jeff Bezos, CEO da Amazon, recomendou que os funcionários que possam trabalhar remotamente permaneçam em suas casas até março. Aqueles que têm Covid-19 ou precisam ficar em quarentena por algum motivo vão receber até duas semanas de pagamento.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Coronavírus: Amazon vai focar em vendas de itens essenciais