Selo do BrazilLAB certifica startups com inovações para o setor público

3 min de leitura
Patrocinado
Imagem de: Selo do BrazilLAB certifica startups com inovações para o setor público
Avatar do autor

As startups vêm contribuindo para modernizar o Estado brasileiro, deixando-o mais ágil e eficiente, apesar do excesso de burocracia, da pouca flexibilidade e dos processos demorados do setor público. Isso é fruto do trabalho de instituições como o BrazilLAB, primeiro hub nacional de inovação em governos, que tem como maior objetivo conectar o poder público e empreendedores e para isso conta com uma ampla rede de investidores e parceiros.

Para ampliar o negócio das startups e fomentar a inovação no setor público, o BrazilLAB desenvolveu o Selo GovTech, uma certificação independente conferida a empresas aptas a prestar serviços ou oferecer produtos inovadores. As soluções devem ser capazes de resolver desafios da gestão pública moderna com o uso da tecnologia que podem ser aplicadas nas esferas municipal, estadual, federal e até mesmo nos campos legislativo e judiciário.

As startups certificadas são opções seguras para contribuir na prestação de serviços públicos de qualidade. As empresas fazem parte de um marketplace de soluções inovadoras com potencial de serem acessadas por gestores públicos de todo o país que buscam soluçõespara atendê-los. O selo também dá acesso a contato com lideranças públicas, presença em eventos ligados a inovação em governos, além de conexão com uma rede de estados, órgãos do governo e  mais de 30 prefeituras parceiras do BrazilLAB e divulgação da empresa para a base de parceiros do hub.

Startups com selo GovTech

Empresas certificadas pelo BrazilLAB já estão ajudando o poder público a ser mais eficiente com soluções inovadoras. A Zul Digital é responsável por uma plataforma que proporciona a gestão do desempenho e a fiscalização digital de estacionamentos rotativos. A solução teve início em São Paulo (SP) e está presente em Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Belo Horizonte (MG).

(Fonte: Zul Digital)

Já o Aprova Digital, sistema que aposta na inovação para ajudar as prefeituras a desburocratizarem e acelerarem a tramitação de licenças e alvarás, foi implantado em Mogi das Cruzes (SP) e tornou digitais 100% dos processos da Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo; com isso, gerou uma economia de R$ 500 mil na impressão de papéis. A solução também foi implantada em Santa Bárbara D'Oeste (SP), onde se espera reduzir o prazo de emissão de alvarás de obras. Em média, com a solução, o tempo dos trâmites cai de 60 dias para 10 dias.

Outra startup, a Fábrica de Negócio, atua com automatização de auditoria de folhas de pagamento com bases externas para combate à evasão fiscal e fraudes tributárias. A solução foi implementada em Recife (PE), integrando 9 mil verbas, com 25 regras, em uma folha de 37 mil servidores no valor de R$ 143 milhões ao mês. O retorno foi de R$ 10 milhões na auditoria de folhas anteriores, realizada em 45 segundos, quando o padrão anterior era de 6 meses, realizado apenas por amostragem.

Processo de certificação do Selo GovTech do BrazilLAB

O primeiro passo para solicitar a certificação é acessar o site do BrazilLAB (https://selo.brazillab.org.br) e criar um login e uma senha. Depois, é necessário preencher um formulário de inscrição com 41 perguntas: 25 questionamentos informativos sobre o negócio e 16 questões com pontuação classificatória.

Os critérios para a certificação são estabelecidos e avaliados com base na ampla experiência e no conhecimento adquirido pelo BrazilLAB na aceleração de startups e implantação de projetos B2G (Business-to-government). Os critérios contemplam informações sobre a própria companhia e a proposta de impacto no setor público.

Sobre a empresa, são solicitadas informações como data de abertura, estágio de desenvolvimento, número de clientes,, demonstrações contábeis e carta de referência. Também é importante mencionar investimentos e prêmios recebidos, como as acelerações pelas quais a startup passou.

Quanto à solução proposta, além de sua descrição, alguns critérios de certificação são a proposta de valor da companhia, de que forma a inovação impacta o setor público e quais são os indicadores de impacto. O selo ainda se preocupa com o modelo de sustentabilidade da solução quando implementada e de sua adequação à Lei Geral de Proteção de Dados.

O interessado deve realizar o pagamento de uma taxa de R$ 890 por meio de cartão de crédito. O valor não é uma garantia de certificação, mas uma condição para que a possibilidade de concessão do Selo GovTech seja avaliada. O investimento não será devolvido caso a empresa não seja certificada.

Após aprovada, a startup terá uma conversa a distância agendada entre seus sócios e o time do BrazilLAB.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Selo do BrazilLAB certifica startups com inovações para o setor público