Trabalhar no Facebook não é mais tão “legal”, indica pesquisa

1 min de leitura
Imagem de: Trabalhar no Facebook não é mais tão “legal”, indica pesquisa
Avatar do autor

A lista de “Melhores Lugares para Trabalhar em 2020” divulgada na terça-feira (10) pelo site Glassdoor mostrou que trabalhar no Facebook já não é tão glamouroso quanto foi no passado. A empresa de Mark Zuckeberg despencou para a 23ª posição, ficando de fora do top 10 pela segunda vez nos últimos anos.

Elaborado com base nas avaliações anônimas de funcionários, o ranking anual do Glassdoor mostra a rede social com uma nota de 4,4 nesta edição, uma pequena queda em relação à anterior, quando a companhia obteve 4,5 pontos de 5. No entanto, ela era a 7ª colocada na lista de 2019 e liderava o ranking de 2018.

Nas listas anteriores, quando ocupava lugar de destaque, o Facebook era citado como uma empresa que disponibilizava benefícios “lendários”, como descrevia o próprio Glassdoor, graças a vantagens como atendimento médico e odontológico no local de trabalho, refeições gratuitas, serviço de lavanderia e quatro meses de licença maternidade/paternidade paga, entre outras.

Há alguns anos, funcionários da rede social comemoravam o primeiro lugar no ranking. (Fonte: Glassdoor/Reprodução)

Mas parece que os escândalos envolvendo a privacidade dos usuários e as campanhas de desinformação na plataforma têm afetado o ambiente de trabalho nos escritórios da rede social nos últimos anos, exercendo pressão nos funcionários.

Google e Apple também caem no ranking

Outras duas grandes rivais do Facebook também viram seu prestígio cair entre os colaboradores. A Google, por exemplo, que era considerada a oitava melhor empresa para trabalhar em 2019 agora é a 11ª. Já a Apple aparecia na 71ª posição na edição anterior e passou para a 84ª.

Apenas duas empresas da área de tecnologia estão no top 10 da lista relativa ao ano de 2020. Uma delas é a HubSpot, que ocupa o primeiro lugar no ranking das “Melhores Empresas para Trabalhar”. A outra é a DocuSign, terceira colocada.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Trabalhar no Facebook não é mais tão “legal”, indica pesquisa