Amazon encerra período de lucros recordes, mas com crescimento das vendas

1 min de leitura
Imagem de: Amazon encerra período de lucros recordes, mas com crescimento das vendas
Fonte: Amazon/Divulgação
Avatar do autor

Na última quinta-feira (25), a Amazon divulgou seu balanço financeiro do segundo trimestre do ano, com resultados abaixo das expectativas. Esse quadro encerra uma série de quatro trimestres de faturamentos consistentes e recordes da companhia. Os lucros do último período da varejista ficaram aquém dos custos com transportes, desacelerando os negócios. O crescimento das vendas, porém, aumentou.

Com uma taxa de crescimento sólida de 37% a cada ano, a Amazon atingiu uma receita de US$ 8,38 bilhões (R$ 31 bilhões, na cotação de hoje) no primeiro trimestre. Já o lucro do segundo período alcançou US$ 2,63 bilhões (R$ 10 bilhões), contra a previsão de US$ 8,48 bilhões (R$ 32 bilhões).

Ações caíram 2,7% após a divulgação dos resultados financeiros do trimestre

Após a divulgação dos números, as ações da empresa caíram 2,7% após o pregão de quinta-feira, em contraponto à subida de 5% no mês anterior. A companhia, no entanto, continua a crescer: após a redução das vendas nos últimos trimestres, o retorno do crescimento fez a receita aumentar 20%, em comparação com os 17% anteriores.

O impacto na lucratividade da Amazon foi resultado de crescentes custos de remessa. O padrão de entrega em um dia para os membros do Prime, embora seja um destaque e receba um feedback muito positivo, custou caro à companhia.

Esse tipo de transporte permitiu um crescimento acelerado das vendas, mas, segundo o diretor financeiro Brian Olsavsky, criou um choque para o sistema. A empresa estima um gasto de US$ 800 milhões (R$ 3 bilhões) no último trimestre com a implantação do serviço de entrega.

A esperança

Nos últimos anos, no entanto, a Amazon enfrentou poucos problemas financeiros; pelo contrário, dominou o comércio eletrônico e aumentou seu espectro de atuação, incluindo novos serviços como entretenimento, publicidade e computação em nuvem.

A Amazon Web Services (AWS), plataforma de serviços de computação em nuvem, gerou um negócio lucrativo e tem contribuído mais que os negócios de varejo na América do Norte. Os lucros do serviço resultaram em 52% da receita total e um faturamento sólido da AWS é esperado para os próximos períodos, considerando o compromisso de empresas como Slack, Lyft e Pinterest.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Amazon encerra período de lucros recordes, mas com crescimento das vendas