Imagem de: Microsoft apoia Parada do Orgulho LGBTQ em São Paulo pelo 3º ano

Microsoft apoia Parada do Orgulho LGBTQ em São Paulo pelo 3º ano

1 min de leitura
Avatar do autor

Neste domingo, dia 23 de junho, a presidente da Microsoft Brasil, Tânia Cosentino, e a vice-presidente jurídica da companhia, Alessandra Del Debbio, estarão na Parada do Orgulho LGBT, em São Paulo. Elas irão desfilar no trio elétrico da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT), carro oficial do evento, juntamente com outros funcionários.

Para Cosentino, apoiar a Parada do Orgulho LGBT condiz perfeitamente com o lema da Microsoft: “...permita que cada um se sinta à vontade para vir como você é”. O evento preza pela diversidade e inclusão, que são pilares da cultura da companhia, características capazes de fomentar ideias inovadoras entre os funcionários.

Funcionários da Microsoft na Parada do Orgulho LGBT em Boston, EUA (Fonte: Microsoft/Reprodução)

A Microsoft sempre apoiou a inclusão

Desde o princípio de sua história, a Microsoft tem apoiado as políticas LGBTQ+ e a diversidade de orientação sexual entre seus funcionários que, a partir de 1993, foram alguns dos primeiros, em todo o mundo, a receber benefícios no caso de terem parceiros do mesmo sexo.

Em meados da década passada, a empresa também foi uma das precursoras a reconhecer, admitir e fornecer suporte sobre a identidade de gênero de forma oficial, atingindo a pontuação máxima (100) no Índice de Igualdade Corporativa da Human Rights Campaign e fortalecendo seu compromisso de apoio e proteção à comunidade LGBTQ+.

É o terceiro ano consecutivo que a Microsoft apoia a Parada do Orgulho LGBT na cidade de São Paulo. Em 2017 e 2018, colaboradores da companhia desfilaram no evento, na capital paulista, que é o maior do mundo.

Em 2019, mais de 4 mil funcionários da Microsoft vão representá-la em mais de 30 países e 60 cidades ao redor do mundo.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Microsoft apoia Parada do Orgulho LGBTQ em São Paulo pelo 3º ano