Samsung mantém a posição de líder na fabricação mundial de smartphones, mas vem sentindo a ascensão das concorrentes chinesas a cada ano. Agora, a sul-coreana estaria fechando as portas de sua última fábrica, em Huizhou, com demissões voluntárias até o próximo dia 14.

A notícia vem de um periódico da China e confirma os planos de reduzir a produção local — em dezembro a Sammy já havia encerrado os trabalhos em Tianjin, uma de suas duas últimas unidades por lá. O prédio de Huizhou foi criado em 1992 e montava smartphones desde 2006. Em 2017, foi responsável por 17% da fabricação global da empresa, com 62,57 milhões de telefones.

A razão para isso tudo é, claro, os preços e custo-benefício da Xiaomi, Huawei, Oppo, entre outras, que, segundo a firma de pesquisa de mercado Strategy Analytics, diminuíram a participação da Samsung para menos de 1% em 2018. Embora o Galaxy S10 tenha catapultado as vendas da sul-coreana, sua presença ainda segue muito baixa no país.

samsungFonte: Samsung

Ainda não há detalhes sobre futuro da fábrica — se ela vai reduzir as atividades, ficar com a movimentação suspensa, transformar-se em outro negócio ou fechar definitivamente as portas. A Sammy, por enquanto, não falou sobre o assunto.